EUA, Reino Unido e UE pedem libertação imediata de opositor russo Navalny

·3 minuto de leitura
Reprodução de imagem do serviço de imprensa do Tribunal da cidade de Moscou mostra o opositor Alexei Navalny em 2 de fevereiro de 2021

O chefe da diplomacia americana, Antony Blinken, se uniu nesta terça-feira (2) às condenações internacionais contra a sentença emitida por um tribunal russo contra o opositor Alexei Navalny e exigiu sua libertação imediata, como fizeram Reino Unido, Alemanha e União Europeia.

"Reiteramos nosso apelo ao governo russo para libertar imediatamente e sem condições o senhor Navalny, assim como as outras centenas de cidadãos russos detidos injustamente nas últimas semanas por exercer seus direitos, inclusive os direitos à livre expressão e à manifestação pacífica", disse Blinken em um comunicado.

"Mesmo quando trabalhamos com a Rússia para promover os interesses dos Estados Unidos, nos coordenaremos estreitamente com nossos aliados e sócios para responsabilizar a Rússia por não defender os direitos dos seus cidadãos", disse Blinken, enquanto o presidente americano, Joe Biden, se prepara para estender o novo tratado nuclear START com Moscou.

Blinken acrescentou que os Estados Unidos estão "profundamente preocupados" e que Navalny tinha direitos segundo a Constituição russa.

Em um sinal de forte coordenação, a declaração foi similar à emitida pelo Reino Unido, também momentos depois da decisão judicial em Moscou de que Navalny passe mais tempo na prisão.

O chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, também pediu a libertação imediata de Navalni.

"A condenação de Alexei Navalny vai contra os compromissos internacionais da Rússia enquanto Estado de Direito e de liberdades fundamentais. Reivindico sua libertação imediata", escreveu no Twitter o diplomata, dois dias após fazer uma visita a Moscou.

- "Ingerência" -

A Rússia chamou de "ingerência" e "desconectados com a realidade" os pedidos dos países ocidentais.

"Não há necessidade de interferir nos assuntos internos de um Estado soberano. Recomendamos a cada um que se ocupe de seus próprios problemas", disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Maria Zakharova.

Um tribunal de Moscou determinou nesta terça o encarceramento do opositor russo por mais de dois anos, revogando a suspensão de uma condenação, o que motivou um protesto de seus apoiadores.

A juíza Natalia Repnikova disse que Navalny, o principal crítico do Kremlin, terá que cumprir três anos e meio de prisão de sua sentença emitida em 2014, exceto os meses que passou em prisão domiciliar aquele ano.

Segundo a corte, Navalny violou as condições de controle judicial do veredicto, e por isso aceitou a solicitação dos serviços penitenciários e da promotoria.

Portanto, o opositor terá que passar dois anos e meio preso, segundo a organização de Navalny, o Fundo de Luta contra a Corrupção, que convocou um protesto imediato, aos pés do Kremlin.

"Alexei Navalny é enviado ao centro (penitenciário) por 2,5 anos. Nos reunimos no centro de Moscou imediatamente", anunciou a organização no Twitter.

Trata-se da pena de prisão mais longa imposta a quem se consolidou em dez anos como o principal detrator do presidente Vladimir Putin. Suas prisões anteriores foram de dias ou semanas.

Segundo o opositor, presente na audiência, o julgamento visou a "assustar" e intimidar o movimento de protesto, que cresceu nas últimas semanas.

A audiência foi celebrada após dois fins de semana de manifestações de apoio ao opositor em toda a Rússia, que resultaram em milhares de detenções.

Navalny é alvo de vários processos judiciais, entre eles por acusações de "difamação" e "fraude" por ter desviado, segundo as autoridades, doações dirigidas à sua organização.

Militante anticorrupção, Navalny está preso desde 17 de janeiro, quando voltou da Alemanha, onde esteve por cinco meses recuperando-se do que os médicos qualificaram de um um envenenamento - pelo qual o opositor responsabiliza o presidente russo.

Sua prisão levou milhares de pessoas às ruas em seu apoio, enquanto ele acusava Putin de corrupção.

sct/ft/mps/yow/mvv