EUA reuniram com suas famílias mais de 200 crianças migrantes

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
(Arquivo) Crianças participam de protesto contra a política migratória dos EUA de separar crianças de suas famílias, em frente à embaixada americana na Cidade do México, em 26 de junho de 2018 (AFP/RODRIGO ARANGUA) (RODRIGO ARANGUA)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Mais de 200 crianças migrantes separadas de seus pais durante o governo do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se reencontraram com suas famílias, afirmou nesta quinta-feira (28) o secretário de Segurança Interna, Alejandro Mayorkas.

"Até agora, reunimos mais de 200 crianças separadas de seus pais e estima-se que existam aproximadamente mais 1.000 crianças que ainda estão separadas", disse.

O Destacamento Especial para a Reunificação de Famílias "entrou em contato com mais de 500 pais e quase 400 crianças estão agora no processo de reunificação", acrescentou Mayorkas à Comissão de Justiça da Câmara dos Representantes.

O Departamento de Segurança Interna continua em contato com ONGs para fazer contato com as famílias, "mas um dos maiores obstáculos que temos [...] é vencer a desconfiança semeada pela administração anterior através de suas políticas cruéis, e muitos ainda têm medo pelo trauma que viveram", acrescentou.

Durante a política de "tolerância zero" aplicada por Donald Trump, de 2017 a janeiro de 2021, milhares de crianças foram separadas de suas famílias para desencorajar a chegada maciça de migrantes, a maioria oriunda da América Central, mas muitos delas acabaram sendo reunidas com seus parentes ainda no mandato do republicano.

Quando Joe Biden chegou à Casa Branca, prometeu uma política migratória mais "humana" e criou um grupo para reunir as crianças que continuavam separadas de seus pais.

"Estamos permitindo que se reúnam aqui nos Estados Unidos e oferecemos uma permissão humanitária para que tenham algum nível de estabilidade por um período de três anos, que é renovável, dependendo das circunstâncias de cada caso", explicou Mayorkas, que compareceu, esta semana, a diversas comissões da Câmara para falar sobre o orçamento de seu departamento para o próximo ano fiscal.

Durante a audiência de hoje, o secretário mencionou a conversa que teve com uma mãe. "Foi incrivelmente doloroso ouvir uma mãe falar sobre como, apesar do reencontro físico, havia uma distância entre ela e sua filha adolescente, que ainda sofria com o trauma da separação", disse aos congressistas.

Biden apoia o pagamento de uma compensação para as famílias de migrantes que foram separadas, mas seu governo abandonou as negociações com os advogados que apresentaram ações judiciais em nome de algumas dessas famílias.

Os demandantes, que buscam indenizações pelo que consideram danos psicológicos, anunciaram que seguirão adiante com os processos.

Ao longo de seus comparecimentos às comissões esta semana, Mayorkas insistiu que a solução para a crise migratória na fronteira com o México passa por abordar as causas dessa migração e por uma legislação.

"Temos que consertar nosso sistema de imigração falido e [...] ele está falido em muitos aspectos", reiterou nesta quinta-feira.

Quando chegou à Casa Branca, Biden propôs um caminho para que 11 milhões de imigrantes irregulares conseguissem a cidadania americana, mas o projeto nunca entrou em votação.

erl/yow/rpr/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos