EUA sanciona grupo neonazista russo e colaboradora de Putin

O Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (15) um novo pacote de sanções contra cerca de 20 funcionários russos, entre eles bancários, um grupo paramilitar neonazista e uma colaboradora próxima do presidente Vladimir Putin, acusada de ter coordenado o deslocamento forçado de crianças ucranianas para a Rússia.

"Os Estados Unidos continuarão tomando medidas enérgicas para que a Rússia preste contas por seus crimes de guerra, atrocidades e agressões", disse a secretária do Tesouro, Janet Yellen, em um comunicado.

Dessa forma, cerca de 22 funcionários e instituições entraram na lista de sanções dos Estados Unidos, em particular parentes do líder checheno Ramzan Kadyrov, já sancionado, e altos funcionários do sistema bancário russo, incluindo Vladimir Komlev, que dirige o sistema de pagamentos Mir.

Apresentado como "braço direito" do presidente russo, Kadyrov "acumulou uma riqueza extrema, com uma casa nos Emirados, um zoológico privado, veículos de luxo e um grande fundo para subornos", segundo o texto.

Paralelamente, o Tesouro e o Departamento de Comércio proibiram todas as exportações de materiais de informática para Rússia e Belarus, uma medida que o Tesouro afirmou que prejudicaria os esforços para reconstruir as forças armadas russas, que sofreram grandes perdas em sua guerra contra a Ucrânia, iniciada em fevereiro.

O Tesouro sancionou também Maria Alexeyevna Lvova-Belova, que dirigiu a Comissão presidencial para os Direitos da Criança. Segundo a instituição, trabalhando diretamente com Putin, Lvova-Belova supervisionou a deportação de "milhares" de crianças ucranianas para a Rússia.

"O trabalho de Lvova-Belova incluía especificamente a adoção forçada de crianças ucranianas por famílias russas, a chamada "educação patriótica' de crianças ucranianas, mudanças legislativas para acelerar a emissão de cidadania da Federação Russa para crianças ucranianas e a remoção deliberada de crianças ucranianas pelas forças russas", disse.

Por último, os Estados Unidos impuseram sanções ao 'Task Force Rusich', um grupo paramilitar neonazista que luta na Ucrânia associado ao exército de mercenários Wagner, controlado pelo conselheiro próximo de Putin, Yevgeny Prigozhin.

As sanções do Departamento do Tesouro têm como objetivo congelar os ativos que os designados possam ter sob jurisdição dos EUA e proibir qualquer indivíduo ou empresa americana, incluindo bancos internacionais com operações no país, de fazer negócios com eles, limitando seu acesso aos mercados financeiros globais.

pmh/cl/db/cjc/ap/mvv