EUA sancionam cidadãos e grupos russos por "influência maligna"

WASHINGTON (Reuters) - O Departamento de Tesouro dos Estados Unidos impôs nesta sexta-feira sanções a dois indivíduos russos e quatro entidades que acusa de apoiar a influência maligna global do Kremlin e operações de interferência nas eleições, incluindo nos Estados Unidos e na Ucrânia.

"Os indivíduos e entidades designadas hoje desempenharam várias funções nas tentativas da Rússia de manipular e desestabilizar os Estados Unidos e seus aliados e parceiros, incluindo a Ucrânia", afirmou o departamento em nota.

Os indivíduos foram identificados como Aleksandr Viktorovich Ionov e Natalya Valeryevna Burlinova, e as entidades como o Movimento Anti-globalização da Rússia (AGMR, na sigla em inglês), o Ionov Transkontinental, o STOP-Imperialism e o Centro para o Apoio e Desenvolvimento de Iniciativas Públicas e Diplomacia Criativa (PICREADI, na sigla em inglês).

O Departamento do Tesouro acusa Ionov de ser um "cooptado" pelo FSB, dizendo que ele havia coordenado com a agência de Inteligência russa desde pelo menos o verão de 2020, para identificar "pontos de contenção sóciopolíticos dentro dos Estados Unidos".

"Ele ofereceu apoio, normalmente na forma de doações monetárias, a organizações que ele e os serviços de Inteligência da Rússia acreditavam que poderiam criar perturbações sóciopolíticas nos Estados Unidos", afirmou o Tesouro dos EUA.

A embaixada russa em Washington não respondeu imediatamente a um e-mail pedindo comentários sobre as sanções norte-americanas, que impedem acesso e interesses a propriedades dos designados que estejam sob jurisdição dos EUA.

(Reportagem de Rami Ayyub em Washington e Arshad Mohammed em Saint Paul, Minnessota)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos