EUA se comprometem a ajudar Taiwan a se defender, diz autoridade

·1 min de leitura
Diretora do Instituto Americano de Taiwan, Sandra Oudkirk, durante entrevista coletiva em Taipé

Por Yimou Lee

TAIPÉ (Reuters) - Sandra Oudkirk, a principal representante dos Estados Unidos em Taiwan, disse nesta sexta-feira que seu país está comprometido a ajudar Taiwan a se defender em meio a um aumento das tensões entre Taipé e a China.

Falando aos repórteres em sua primeira coletiva de imprensa desde que assumiu o cargo, em julho, ela descreveu as relações dos EUA com Taiwan como "firmes como uma rocha".

"Os Estados Unidos têm o compromisso de ajudar Taiwan a prover sua legítima defesa", disse Oudkirk, que comanda o Instituto Americano de Taiwan, a embaixada norte-americana de fato na ausência de laços diplomáticos formais.

Seus comentários coincidem com a escalada das tensões nas últimas semanas entre Taiwan e a China, que não descarta tomar a ilha de governo democrático à força.

Em um comunicado à Reuters, o Ministério das Relações Exteriores chinês disse que se opõe aos comentários de Oudkirk e pede aos EUA que estejam cientes da natureza delicada da questão taiwanesa.

"Não brinquem com fogo, ou isto impactará seriamente as relações China-EUA e a paz e a estabilidade no Estreito de Taiwan", disse o comunicado.

Embora os EUA, como a maioria dos países, não tenham laços formais com a ilha reivindicada pela China, são seus apoiadores internacionais mais importantes e seus principais fornecedores de armas. O governo do presidente Joe Biden se movimenta para reafirmar este apoio, o que revolta a China.

(Reportagem adicional de Yew Lun Tian)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos