Tribunal do Panamá fixa fiança para libertar sócios do Mossack Fonseca

Cidade do Panamá, 21 abr (EFE).- Um tribunal do Panamá determinou nesta sexta-feira o valor da fiança para libertar os advogados Jürgen Mossack e Ramón Fonseca Mora, detidos desde fevereiro por seu envolvimento em casos de corrupção investigados pela Operação Lava Jato no Brasil, informou à Agência Efe uma fonte judicial.

O Segundo Tribunal Superior da capital do Panamá, que emitiu a resolução a favor dos sócios principais do escritório de advocacia Mossack Fonseca, pediu uma fiança de US$ 500.000 a cada um e emitiu uma proibição de saída do país para ambos.

Os advogados foram citados nas delações da Lava Jato por uma advogada que alega ter sido funcionária da firma no Brasil e ter recebido ordens de destruir documentos sobre o uso fraudulento de empresas investigadas pela operação. EFE