EUA se preparam para mais ataques no Afeganistão após soldados serem mortos no aeroporto

·1 minuto de leitura
Tropas de guarda no aeroporto de Cabul

Por Idrees Ali e Jonathan Landay e Humeyra Pamuk

WASHINGTON (Reuters) - As forças norte-americanas em Cabul estão se preparando para mais ataques do Estado Islâmico enquanto buscam terminar sua missão de retirada, afirmaram autoridades do Pentágono, depois que 13 soldados norte-americanos foram mortos em um ataque suicida nesta quinta-feira no aeroporto da capital afegã.

Uma autoridade dos EUA disse à Reuters que é provável que o número de norte-americanos mortos cresça, uma vez que mais de 15 ficaram feridos.

O ataque marcou as primeiras mortes do Exército dos EUA no Afeganistão desde fevereiro de 2020 e representou o incidente mais letal para tropas norte-americanas no país em uma década.

O general do Corpo de Fuzileiros Navais Frank McKenzie, chefe do Comando Central do Exército dos EUA, disse em uma entrevista coletiva que houve troca de tiros após as explosões. McKenzie afirmou que a ameaça do Estado Islâmico persiste, junto com “outras correntes de ameaças ativas”.

“Acreditamos que é o desejo deles continuar com esses ataques e esperamos que esses ataques continuem -- e estamos fazendo tudo que podemos para estarmos preparados”, disse.

McKenzie acrescentou que futuros ataques podem incluir foguetes atirados ao aeroporto ou carros-bomba tentando entrar nele. McKenzie disse que não viu nada que o convença de que as forças do Taliban permitiram que o ataque fosse realizado.

(Reportagem de Patricia Zengerle, Michael Martina, Lisa Lambert, Idrees Ali, Mark Hosenball, Jonathan Landay, David Brunnstrom, Humeyra Pamuk e Trevor Hunnicutt)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos