EUA têm todos os voos cancelados após falha no sistema

Entenda episódio que gerou caos em todo o país

Voos cancelados geraram caos em aeroportos nos EUA - Foto: REUTERS/Marco Bello
Voos cancelados geraram caos em aeroportos nos EUA - Foto: REUTERS/Marco Bello
  • Voos que partiriam de todos os aeroportos dos EUA foram cancelados na manhã desta quarta-feira

  • Episódio foi ocasionado por uma falha no sistema Notam, utilizado para controle aéreo

  • Casa Branca afirmou que não há evidências de ataque cibernético até o momento

Todos os voos que sairiam de aeroportos nos Estados Unidos foram cancelados nesta quarta-feira (11) pela manhã, após uma falha nos sistemas de controle aéreo do país.

A Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA, na sigla em inglês) explicou que o episódio foi ocasionado pela queda no programa que alerta pilotos e funcionários dos voos sobre perigos ou alterações nos aeroportos, chamado de Notam.

Com isso, o órgão determinou que todos os voos programados para deixar os aeroportos do país na manhã desta quarta fossem cancelados. A determinação seguia vigente até as 10 horas (de Brasília).

A exceção são voos militares e de resgate médicos, considerados essenciais, que seguem autorizados a decolar.

Desde as primeiras horas do dia, passageiros por todos os Estados Unidos relatavam nas redes sociais atrasos e cancelamentos dos voos. Somente após a explicação oficial da FAA, no entanto, foi esclarecido o motivo.

Por conta do ocorrido, aeroportos em outras regiões do planeta também estão registrando caos. Em Madri, na Espanha, foi relatado que os aviões com destino aos Estados Unidos estão "várias horas atrasados".

A FAA relatou que a falha no sistema Notam ainda não foi resolvida e que não havia previsão para que isso ocorresse.

Casa Branca se manifesta

A Casa Branca se manifestou oficialmente sobre o episódio e tratou de afastar o temor da população sobre um possível ataque cibernético. Segundo a sede do governo norte-americano, não há nenhuma evidência de que a falha tenha sido causada por terceiros.

O presidente Joe Biden também veio a público esclarecer que está acompanhando o caso de perto e garantiu que os voos previstos para chegar nas próximas horas nos EUA poderão pousar com segurança.