EUA terão dificuldade em conter avanço russo na Ucrânia sem reação forte da UE

·1 min de leitura

A velocidade da evolução na fronteira entre a Rússia e a Ucrânia complica a análise da situação. Atualmente, aproximadamente 100 mil tropas russas estão posicionadas na fronteira com a Ucrânia. A expectativa de Washington, mais precisamente do Pentágono e da Casa Branca, é de que 175 mil tropas deverão estar a postos até o fim de janeiro.

Thiago de Aragão, de Washington

A concretização dessa expectativa de invasão até o final de janeiro ainda depende de alguns fatores que são observados por Washington. Os americanos acreditam que ainda faltam elementos críticos para que a Rússia dê o passo inicial em direção ao território ucraniano. Há necessidades, de acordo com dados coletados pelos serviços de inteligência (principalmente via satélite), de que os russos precisam turbinar a chegada de equipamentos que facilitem o transporte na neve, a gestão de munições e logística de bancos de sangue. Há quem diga que a capacidade de instalação de hospitais de campanha ainda está aquém do necessário.

Naturalmente, toda a expectativa se baseia no “ideal” e não no básico. A ausência desses elementos não representa, de forma alguma, a impossibilidade de que uma invasão ocorra imediatamente. Alguns especialistas argumentam que um passo inicial de invasão pode ser dado sem esses elementos. Em relação a bancos de sangue e hospitais de campanha, em tese, os russos poderiam utilizar aqueles já existentes em território ucraniano.


Leia mais

Leia também:
G7 alerta Rússia sobre "enormes consequências" em caso de uma invasão da Ucrânia
Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia
Joe Biden promete impedir uma invasão russa da Ucrânia

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos