EUA urge que seus cidadãos deixem a Etiópia 'o mais breve possível'

·1 min de leitura
Manifestantes com bandeiras do Tigré protestam em Washington, nos EUA, em 4 de novembro de 2021, para marcar o aniversário de um ano da decisão do governo etíope de enviar tropas à região (AFP/Olivier DOULIERY)

Os Estados Unidos pediram nesta sexta-feira (5) que os cidadãos americanos que se encontram na Etiópia deixem o país sem demora, enquanto aumentam os temores de que os combatentes rebeldes da região do Tigré avancem até a capital Adis Abeba.

"O entorno de segurança na Etiópia é muito instável. Aconselhamos os cidadãos americanos que estão na Etiópia a deixarem o país o mais breve possível", afirmou a embaixada dos EUA no país africano em um comunicado.

Esta advertência vai além de outra feita no início desta semana, na qual o Departamento de Estado recomendava aos americanos que evitassem viajar à Etiópia e, para os que já estavam ali, que considerassem sair do país.

Nove grupos rebeldes etíopes anunciaram nesta sexta-feira, em Washington, a criação de uma aliança contra o governo do primeiro-ministro Abiy Ahmed, em uma "frente unida" liderada por combatentes da Frente Popular de Libertação do Tigré (TPLF), que ameaçam marchar sobre a capital Adis Abeba.

fff/dw/bgs/lm/yow/rpr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos