EUA vão resgatar americanos em navio em quarentena no Japão

TÓQUIO - Os Estados Unidos anunciaram que enviarão um avião ao Japão para trazer de volta os passageiros americanos que estão no navio de cruzeiro em quarentena Diamond Princess, onde ocorreram as maiores infecções por coronavírus fora da China.

Há cerca de 3.700 passageiros e tripulantes a bordo. Mais 67 pessoas testaram positivo para o vírus, disse neste sábado o ministro da Saúde do Japão, Katsunobu Kato, elevando o total para 285 casos. Na quinta-feira haviam sido registrados 44 novos casos. Os pacientes com COVID-19 são transferidos para hospitais japoneses.

Há dois brasileiros na embarcação: o niteroiense Thiago Campos Soares, que agora atua como vigia dos passageiros durante a madrugada, certificando-se de que os passageiros não sairão de suas cabines, e Thiago Bortolan, que trabalha na cozinha.

A Embaixada dos EUA em Tóquio disse em uma carta aos passageiros que um avião fretado chegaria ao Japão na noite deste domingo e que recomendava "com muita cautela" que os cidadãos dos EUA desembarcassem e voltassem para casa para monitoramento.

A emissora pública japonesa NHK informou que havia mais de 400 cidadãos dos EUA a bordo.

Os passageiros deverão passar por quarentena adicional de 14 dias após a chegada aos Estados Unidos e, se optarem por não voltar no voo, não poderão voltar para casa "por um tempo", dizia a carta.

— Entendemos que isso é frustrante e um ajuste, mas essas medidas são consistentes com as políticas cuidadosas que instituímos para limitar a possível propagação da doença — dizia a carta.

Também foi informado que os passageiros seriam checados antes do voo e que o governo dos EUA estava trabalhando com o Japão para que qualquer pessoa com sintomas recebesse os devidos cuidados caso não pudesse embarcar.

O navio de cruzeiro, de propriedade da Carnival Corp, está em quarentena desde que chegou a Yokohama em 3 de fevereiro, depois que um homem que desembarcou em Hong Kong, antes de viajar para o Japão, foi diagnosticado com o vírus.

A quarentena do navio de cruzeiro deve terminar na quarta-feira e, enquanto alguns passageiros ficaram desanimados com a perspectiva de mais tempo em quarentena, outros foram mais compreensivos.

— Eles estão muito preocupados com a disseminação do vírus, e não há uma boa maneira de transportar pessoas do Japão sem possível transferência de vírus, então é a coisa mais lógica a se fazer— disse Sawyer Smith, 25 anos.