EUA vão 'responder de forma decisiva' a eventual invasão russa na Ucrânia, diz Biden

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Joe Biden
    Joe Biden
    Presidente dos Estados Unidos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que o país "vai responder de forma decisiva" no caso de uma eventual ação militar de invasão da Rússia na Ucrânia. O democrata conversou por telefone com o ucraniano Volodimir Zelenski.

A declaração de Biden, que citou também aliados americanos, foi divulgada em um comunicado da Casa Branca.

Em meio a um aumento das tensões em torno da Ucrânia, o democrata havia falado também com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, por videochamada na última quinta-feira (30). Na ocasião, os dois alertaram para um possível rompimento na relação entre os países em decorrência da escalada de ânimos no leste europeu.

EUA e Rússia passam por um dos momentos de maior tensão da história recente depois que Kiev e Washington acusaram Moscou de planejar um ataque contra a Ucrânia após posicionar dezenas de milhares de soldados próximos à fronteira da ex-república soviética.

A Rússia anexou em 2014 a península da Crimeia, em resposta a uma revolução pró-Ocidente, que derrubou um presidente alinhado ao Kremlin. Os russos também são acusados de apoiar separatistas ucranianos que lutam contra o governo de Kiev no leste do país.

Na videochamada de quinta-feira, Biden voltou a ameaçar a Rússia com sanções econômicas em caso de ataque, o que Putin chamou de "um erro colossal".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos