EUA vai acusar China de piratear estudos sobre vacina da COVID-19

Voluntário se submete a teste clínico na África do Sul, em 4 de maio de 2020

Washington vai acusar a China publicamente de tentar piratear pesquisas americanas sobre uma vacina para o coronavírus - informou a imprensa local.

De acordo com "The Wall Street Journal" e com "The New York Times", o FBI (Polícia Federal americana) e o Departamento de Segurança Interna (DHS) planejam emitir uma advertência sobre os hackers chineses, no momento em que iniciativas governamentais e privadas estão em uma corrida contra o relógio para a obtenção de uma vacina.

Segundo os jornais, vários funcionários americanos acusam os hackers de estarem ligados ao governo chinês. A advertência será emitida nos próximos dias.

Em Pequim, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian, rejeitou as acusações, afirmando que seu país se opõe firmemente aos ciberataques.

"Estamos liderando a investigação mundial para o tratamento e para uma vacina para a COVID-19", afirmou o ministro, acrescentando que é "imoral" atacar a China com rumores e calúnias na ausência de "provas".