EUA vai dobrar ajuda climática para países em desenvolvimento até 2024

·1 minuto de leitura
O presidente dos EUA, Joe Biden, na cúpula virtual sobre o clima

Os Estados Unidos planejam dobrar até 2024 sua ajuda oficial aos países em desenvolvimento para enfrentar a mudança climática, em comparação com os níveis registrados dez anos antes, anunciou o presidente Joe Biden nesta quinta-feira (22).

"Para ajudá-los a alcançar esse objetivo, os Estados Unidos vão dobrar (...) para 2024 o nosso desenvolvimento anual de financiamento público para o clima para os países em desenvolvimento", disse o presidente durante uma cúpula de líderes mundiais sobre o clima mediada pela Casa Branca.

O Departamento de Estado justificou este objetivo pela necessidade de "virar a página da forte queda de financiamento internacional proporcionado pelos Estados Unidos em relação ao clima" durante a presidência de Donald Trump, antecessor de Biden.

Trump bloqueou as contribuições dos Estados Unidos ao Fundo Verde para o Clima, estabelecido pelo Acordo de Paris de 2015 para ajudar as nações pobres que têm pouca responsabilidade pelo aquecimento do planeta.

Os Estados Unidos contribuíram com 1 bilhão de dólares dos 3 bilhões que o ex-presidente Barack Obama prometeu antes de entregar o cargo a Trump em 2017.

A secretária do Tesouro, Janet Yellen, lembrou nesta quinta-feira que o governo de Biden solicitou ao Congresso 1,2 bilhão de dólares para contribuir ao Fundo Verde para o Clima no próximo ano.

Biden, anfitrião da cúpula que reúne nesta quinta e sexta-feira 40 líderes mundiais, destacou também o compromisso da Corporação Financeira de Desenvolvimento dos Estados Unidos (DFC em inglês) de alcançar "zero emissões líquidas através de seus investimentos para 2040".

A DFC também deseja fazer com que os "investimentos focados no clima" representem 33% de todos os novos investimentos a partir de 2023, acrescentou.

sms-ad/lda/aa