EUA vivem dia de manifestações pelo direito ao aborto

Este sábado (14) é marcado por manifestações em várias cidades dos Estados Unidos. Milhares de pessoas protestam para defender o direito ao aborto, ameaçado pela Suprema Corte, que parece disposta a rever sua histórica decisão de 50 anos atrás.

Os protestos convocados em todo o país chegam como uma resposta ao vazamento na imprensa de um rascunho de decisão final em que a máxima instância judicial dos Estados Unidos, de maioria conservadora, estaria considerando derrubar a decisão do caso Roe vs. Wade, de 1973, que garantiu o acesso legal ao aborto em todo o país. "Manifestamos hoje para dizer em alto e bom som: não toquem em nossos corpos", tuitou a Women´s March, uma das organizações que estão convocando os protestos.

Cerca de 450 manifestações estão previstas em todo o país, com grandes marchas programadas em Washington, Nova York, Chicago, Austin e Los Angeles. Na capital, a manifestação está prevista para as 14h00 locais (15h00 em Brasília) e se dirigirá à sede da Suprema Corte. De acordo com os organizadores, são esperadas pelo menos 17.000 pessoas.

A possível anulação da jurisprudência do caso Roe vs. Wade pode ter reflexos nas eleições de meio de mandato que acontecem em novembro, nas quais estará em jogo o controle das duas câmaras do Congresso. Os democratas vêm promovendo medidas para codificar o direito ao aborto em leis federais, uma tentativa de enfraquecer os republicanos em um tema que divide profundamente antes das eleições.

(Com informações da AFP)


Leia mais

Leia também:
Projeto contra aborto nos EUA é fruto de estratégia bem-sucedida de Trump, diz imprensa francesa
Direito ao aborto: uma aposta arriscada de Biden antes das eleições de meio de mandato nos EUA
Mulheres pobres serão as mais prejudicadas se Suprema Corte americana derrubar decisão sobre aborto

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos