Europa celebra hoje 75 anos do fim da Segunda Guerra sem comemorações nas ruas

Enquanto ainda conta os mortos da pandemia do novo coronavírus, o mundo celebra hoje a portas fechadas os 75 anos do fim da Segunda Guerra Mundial na Europa, com a rendição da Alemanha. Tradicionais paradas e desfiles em amplas avenidas do continente darão lugar a homenagens mais intimistas, muitas delas online.

Ironicamente, a geração que viveu e lutou o conflito mais sangrento do século passado é também a mais atingida pela Covid-19. No Reino Unido, será divulgado, às 21h de hoje, um pronunciamento da rainha Elizabeth II. É o mesmo horário em que seu pai, o rei George VI, anunciou pelo rádio o fim da guerra naquele 8 de maio de 1945. A monarca vai reforçar as palavras do pai e mencionar os trechos da canção de Vera Lynn, “We’ll meet again” (“Vamos nos ver de novo”, em tradução livre), sinônimo do pós-guerra.

Na Rússia, quinto país mais afetado pelo coronavírus, a grandiosa parada militar da vitória, realizada no dia 9 de maio (o dia do fim da guerra pelo calendário juliano), foi adiada pelo presidente Vladimir Putin para o fim do ano.

As comparações com a Segunda Guerra tornaram-se frequentes depois que metade da população do planeta foi submetida a uma dolorosa quarentena. E, como também após silenciarem as armas em 1945, entra em discussão uma nova ordem pós-coronavírus.