Europa relembra os 20 anos do euro; moeda única consolidou projeto de união no bloco

·2 min de leitura

Adeus aos marcos, francos, liras ou pesetas. Em 1º de janeiro de 2002, três anos depois de seu nascimento oficial, os habitantes de 12 países europeus puderam, finalmente, ter euros nas mãos e nas carteiras.

"Café, croissant, baguete e flores: os franceses estreiam o euro nos pequenos comércios, com grande curiosidade", relata uma matéria da AFP no dia da estreia, há duas décadas. "Alguns foliões fizeram do saque de euros um dos atrativos de sua festa, para tocar na nova moeda o mais rápido possível. Cerca de 450.000 saques em dinheiro foram registrados na madrugada da virada nos caixas eletrônicos. Em frente a uma dessas máquinas, uma mulher olhava para sua nota: 'Há um ano que eu esperava por isso. Podemos, enfim, tocar neles (os euros)’”, prosseguia o texto.

Na Itália, onde o então governo de Silvio Berlusconi se dividia em relação à moeda única, filas intermináveis se formavam em bancos, correios e bilheterias das estações de metrô. A polícia intercedia, quando a situação se encrespava. Em Nápoles, foi disponibilizado um número gratuito, o "SOS euro", para que os consumidores italianos pudessem relatar erros e abusos na conversão da nova moeda.

Em Atenas, no mercado central, um bairro popular localizado aos pés da Acrópole, o drama continuava dominando os negócios em 3 de janeiro. "Podem ficar com a moeda bárbara de vocês", disse um açougueiro, à reportagem.

Arredondamentos para cima

No final daquela primeira semana, o principal problema era a escassez de moedas e os pequenos cortes no fornecimento de cédulas em vários países. Na Holanda, exemplar da mudança para o euro, supermercados e postos de gasolina sem dinheiro em espécie decidiram, por alguns dias, voltar a devolver o troco em florins.


Leia mais

Leia também:
União Europeia anuncia pacote de quase R$ 2 trilhões para conter influência da China no mundo
Com foco na ecologia e orçamento de € 387 bi, Europa aprova nova política comum para agricultura
À frente da União Europeia, Macron pretende banir importação de produtos de área de desmatamento

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos