Europa revela satélite de alta tecnologia para acelerar alertas sobre climas extremos

Por Tim Hepher

CANNES, França (Reuters) - A Europa revelou nesta quarta-feira o primeiro de uma família de satélites de 4 bilhões de euros projetados para alertar antecipadamente sobre o clima extremo que vem causando estragos em todo o mundo neste ano.

Resultado de 12 anos de desenvolvimento para a Agência Espacial Europeia e 30 nações EUMETSAT, o satélite MTG-I1 será lançado até o final deste ano em um foguete Ariane 5 e colocará do espaço olhares mais nítidos sobre a Europa e a África.

A espaçonave de 3,8 toneladas transmitirá imagens a partir do próximo ano e será acompanhada em órbita geoestacionária por mais três satélites de imagem MTG-I e dois satélites de "sonda" MTG-S capazes de cortar a atmosfera, assim como um scanner médico, até 2030.

A esperança é que os meteorologistas ganhem horas preciosas na previsão de tempestades e inundações de curto prazo que podem custar vidas.

"Há um desafio real hoje... ser capaz de calcular o estado inicial (do clima)", disse Herve Roquet, vice-diretor de pesquisa da Meteo France.

A iniciativa destaca uma corrida para lidar com a disrupção climática exacerbada pelo aquecimento global e que, segundo estimativas, custou 100 bilhões de dólares em todo o mundo somente em 2021.