Europa teve verão mais quente já registrado, dizem cientistas da UE

·1 minuto de leitura

BRUXELAS (Reuters) - A Europa teve neste ano o verão mais quente já registrado, embora por uma pequena margem sobre as das maiores temperaturas anteriores para o período entre junho e agosto, afirmaram cientistas da União Europeia nesta terça-feira.

O serviço Copernicus de Mudanças Climáticas da UE disse que a temperatura média do ar atmosférico entre junho e agosto foi próxima de 1 grau Celsius acima da média do período entre 1991 e 2020, tornando-a a mais quente em sua base de dados.

Os verões mais quentes anteriormente registrados, em 2010 e 2018, foram 0,1 grau Celsius menos quentes.

A temperatura do verão de 2021 marca o último registro de uma tendência de longo prazo de aquecimento global enquanto as emissões de gases do efeito estufa alteram o clima do planeta.

Os registros do Copernicus são desde o ano de 1950, mas são cruzados com outros bancos de dados que remetem até meados do século 19.

Em nota, o serviço disse que, globalmente, o mês de agosto de 2021 foi, ao lado de agosto de 2017, o terceiro mais quente á registrado a pouco mais de 0,3 grau Celsius mais quente que a média do período entre 1991 e 2020.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos