Europeus devem garantir aplicação do acordo nuclear, exige Irã

·1 minuto de leitura
Presidente do Irã, Ebrahim Raisi, visita central nuclear de Bushehr, em 8 de outubro de 2021 (AFP/-)

O Irã quer que os países europeus garantam que vão respeitar o acordo sobre o programa nuclear da República Islâmica, o qual será discutido em breve em Viena - disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Said Khatibzadeh, nesta segunda-feira (11).

"As capitais europeias, como Berlim, têm sido espectadores passivos. Esperamos, portanto, que todas as partes, quando forem a Viena, saibam que não têm outra opção a não ser cumprir suas obrigações no âmbito do acordo [do programa] nuclear", declarou Khatibzadeh, em entrevista coletiva semanal.

"Eles [europeus] devem garantir, plenamente, à República Islâmica que, desta vez, nenhuma das partes violará o acordo", frisou.

Assinado em 2015, em Viena, entre Irã e Estados Unidos, Reino Unido, China, Rússia, França e Alemanha, o acordo oferecia a Teerã a retirada parcial das sanções impostadas por países do Ocidente e pela ONU, em troca do compromisso da República Islâmica de reduzir drasticamente seu programa nuclear e não se dotar de uma bomba atômica.

Após a saída unilateral dos Estados Unidos, em 2018, durante o governo Donald Trump, e do restabelecimento das sanções, o Irã começou descumprir suas obrigações.

"Os países europeus sabem que, sem a inação da Europa, Trump nunca teria ousado se retirar de todos os acordos e violar o acordo sobre o [programa] nuclear iraniano", insistiu Khatibzadeh.

ap/sk/awa/jvb/erl/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos