Evan Peters sentiu medo de interpretar Dahmer: "Precisei acessar lugares obscuros"

Ator Evan Peters no papel de Jeffrey Dahmer na série
Ator Evan Peters no papel de Jeffrey Dahmer na série "Dahmer: Um Canibal Americano". (Foto: Divulgação/Netflix)

"Dahmer: Um Canibal Americano" se tornou um dos maiores sucessos da história da Netflix e um dos principais elogios que a minissérie recebeu do público foi em relação à atuação de Evan Peters no papel do serial killer Jeffrey Dahmer.

Ao começar sua preparação para viver o assassino, um dos principais dos Estados Unidos, o ator conta que sentiu medo e repulsa ao assistir a entrevistas com Dahmer. "Eu encontrei no YouTube alguns áudios do que parecia ser algum psicólogo entrevistando Dahmer, ou até mesmo um detetive, e [Jeffrey] conta pelo que passou. Ele fala de uma forma muito sincera, muito normal", disse o artista em vídeo divulgado pela Netflix.

"Eu estava com muito medo de tudo o que ele fez, e de mergulhar nisso e comprometer-me a fazer o meu melhor no que seria, com certeza, uma das coisas mais difíceis da minha vida, porque eu queria que ficasse bastante autêntico. Mas, para isso, eu precisava acessar a lugares muito obscuros e ficar lá por um grande período", explicou Peters.

"Dahmer: Um Canibal Americano" é uma minissérie sem caráter documental, mas que se preocupou em retratar com fidelidade a história do criminoso que matou 17 rapazes nos Estados Unidos entre 1978 e 1991. A produção analisa os crimes brutais cometidos pelo assassino, que envolviam estupro, necrofilia e canibalismo.

A minissérie criada por Ryan Murphy ("American Crime Story") recebeu críticas por misturar fatos com ficção, mas Evan defendeu o formato: "Como parte da audiência, você não simpatiza com ele, não se compromete com ele, você assiste do lado de fora. É chamado de 'a história de Jeffrey Dahmer', mas não é apenas a história dele, são as repercussões dela. É sobre como, diversas vezes, a sociedade e nosso sistema falharam ao tentar impedi-lo, graças ao racismo, à homofobia... É uma história trágica e todos os lados são contados."

O ator revelou que Murphy fez um pedido importante e essencial para a minissérie acontecer: "Tínhamos uma regra de Ryan, que nunca contaríamos a história do ponto de vista de Dahmer".

"É sobre manter a ideia fixa do porquê de estarmos contando essa história, e usar isso como um guia. Mas há tanto material sobre Dahmer que é importante soar autêntico", completou.