Evento bolsonarista sobre inexistência do racismo é criticado e suspenso

*Arquivo* BRASÍLIA, DF, 27.06.2022 - O presidente Jair Bolsonaro. (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)
*Arquivo* BRASÍLIA, DF, 27.06.2022 - O presidente Jair Bolsonaro. (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O evento "Summit Minha Cor é o Brasil", que aconteceria amanhã, causou bastante repercussão nas redes sociais desde que foi anunciado. Em formato híbrido, podendo ser acompanhado presencialmente em Alphaville, bairro nobre de São Paulo, mas também online, o encontro tinha por finalidade discutir que o Brasil não é um país racista. A maioria dos convidados era composta por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL). Após críticas, a organização informou que o evento foi cancelado "por motivos de força maior".

"A organização do evento agradece apoio de todos os inscritos, palestrantes e colaboradores e comunica que o evento será reagendado", diz comunicado.

O "Minha Cor é o Brasil" é um movimento de pessoas alinhadas à direita que buscam negar ou relativizar a existência do racismo no Brasil. Entre as ideias está tentativa de desconstruir o racismo estrutural e minimizar os impactos que a escravidão deixou como legado ao país.

Críticos rechaçaram as temáticas propostas para os debates, já os apoiadores foram até a plataforma Sympla, na qual os ingressos eram disponibilizados, e reclamaram de que o evento tinha sido marcado de última hora e que seria realizado em um horário muito ruim, das 9h às 19h.

PALESTRANTES CONVIDADOS

Com exceção do deputado federal Luiz Philippe de Orleans e Bragança, todos os outros que estariam no evento eram negros. A lista completa de convidados e assuntos que seriam abordados é a seguinte:

- Sergio Camargo: Vitimismo e Racismo Negro. Camargo é jornalista e filiado ao PL. Ele foi presidente da Fundação Palmares, entidade federal que tem o dever de promover a cultura afro-brasileira. No entanto, ele coleciona uma série de declarações polêmicas em que relativiza o racismo, ataca o movimento negro e faz revisionismo histórico ao fazer afirmações sem comprovações. Sergio Camargo foi acusado de assédio moral por ex-funcionários da Fundação.

- Hélio "Negão": Deputado federal Hélio Lopes - A Politização da Cor. Hélio é um subtenente do Exército e também é filiado ao PL. Foi o deputado federal mais votado do estado do Rio de Janeiro nas eleições em 2018.

- Magno Malta: Vencendo os Obstáculos da Vida Independente da Cor. Malta é pastor evangélico, considerado por muitos como um fundamentalista religioso. Ele também é cantor e político, sendo filiado ao PL. Foi senador pelo Espírito Santo de 2003 a 2019. Mesmo sendo apoiador do presidente Jair Bolsonaro, já foi cabo eleitor da ex-presidente Dilma Rousseff.

- Wesley Ross: O Brasil não é um País Racista. Ele é youtuber, cantor, pastor e pré-candidato a deputado federal novamente pelo PL, partido de Bolsonaro. Em suas redes sociais, há diversas postagens de apoio ao presidente, inclusive do próprio chefe do executivo o convidando a ser um deputado que representasse suas ideais.

- Paulo Sérgio Rangel: O Sucesso Não Tem Cor. Rangel é o desembargador que votou a favor do senador Flávio Bolsonaro no julgamento que concedeu Habeas Córpus ao filho do presidente no caso das rachadinhas em 2020. Foi dele o voto decisivo que garantiu foro especial por prerrogativa de função ao senador.

- Suéllen Rosim: Cultura e Racismo Não Têm Cor. Ela é prefeita de Bauru, sendo a primeira mulher a ter sido escolhida para o cargo. Durante as fases mais agudas da pandemia, ela ganhou notoriedade ao lutar para manter todo o comércio aberto. Ela é jornalista, cantora e filiada ao Patriota.

- Fernando Lisboa: Liberdade de Expressão. Lisboa é youtuber e está sendo investigado no inquérito das fake news por incitar em seu canal que o Supremo Tribunal Federal fosse fechado. Ele já se encontrou diversas vezes com Bolsonaro, e em uma delas tomou café com o presidente, pouco tempo depois das manifestações de 7 de setembro do ano passado.

- Dom Luiz Philippe de Órleans e Bragança: A Importância da Família Real na Abolição da Escravatura. Sendo o único branco que falaria, o herdeiro da família real traria a visão de que a família real sempre estava a favor da Lei Áurea. Ele é deputado federal pelo PL, ativista e empresário.

- Sonaira Fernandes: Cotas Raciais. Ela é vereadora de São Paulo pelo Republicanos. Causou polêmica em diversas ocasiões que já deu diversas declarações homofóbicas e transfóbicas, por exemplo ao dizer que o movimento LGBT queria " acelerar a libertinagem sexual".

- Maicon Sullivan: A Meritocracia Não Têm Cor. O influenciador digital é conhecido como "Black Power do Bolsonaro", ele é missionário e o próprio Bolsonaro já fez diversas piadas com o cabelo dele.

- Alexandre Santana: Existe uma Dívida Histórica do Brasil com os Negros? Santana é comentarista da Jovem Pan e tem um canal no YouTube.

- Vanessa Silva: O Racismo Estrutural. Vanessa é conhecida como "Negona do Bolsonaro". Em seu perfil nas redes sociais ela se descreve como "Negra liberta, bolsonarista raiz, ultra direitista, capitalista e armamentista".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos