Evergrande firma acordo e deixa economia mundial 'aliviada'; entenda

·2 minuto de leitura
Logo da Evergrande em prédio
Magnata chinês perdeu quase R$ 7 milhões em um dia devido ao colpaso da gigante
(REUTERS/Aly Song)
  • Gigante chinesa está à beira da falência e tem preocupado mercados internacionais

  • Apesar do calote ser esperado e temido, empresa anunciou acordo para quitar os juros de um título

  • A Evergrande acumulou dívidas de 1,5 trilhão de reais e já provocou impactos na Ibovespa

A Evergrande, gigante chinesa do setor imobiliário, anunciou nesta quarta-feira, 22, um acordo para quitar os juros de um título importante que vence nesta quinta-feira, estimado em 232 milhões de yuanes (189,61 milhões de reais).

Em comunicado enviado à Bolsa de Shenzhen, a empresa afirmou ter negociado um plano para pagar os juros. Muitos duvidavam que isso iria acontecer e o calote já era temido. A dívida acumulada pelo grupo ultrapassa 300 bilhões de dólares, quantia que, em conversão para reais, bate 1,5 trilhão.

A situação da empresa, à beira da falência, preocupava a economia mundial como um todo, que já a apontava como o novo Lehman Brothers, banco norte-americano que provocou a crise de 2008 ao falir. Devido ao colapso do grupo, mercados internacionais registraram quedas esta semana e impactos foram sentidos até mesmo na Ibovespa.

Leia também:

Em entrevista para a Bloomberg, o chefe executivo da Global CIO Office, Gary Dugan, disse que "para que a confiança se transforme em algo mais significativo, o mercado terá que observar os planos mais amplos de reestruturação da Evergrande".

A empresa conta com mais de 200 mil funcionários e se diz responsável pela criação de 3,8 milhões de trabalhos indiretos na China. Hui Ka Yan, presidente e fundador da Evergrande, afirmou aos funcionários esta semana que o grupo "conseguirá sair em breve de seu momento mais obscuro".

Bilionário perde quase R$ 7 milhões em um dia

Devido ao colapso da Evergrande, o magnata chinês Zhang Yuanlin, presidente da Sinic Holdings Group – conglomerado do setor imobiliário em Xangai - perdeu quase R$ 7 bilhões em um único dia.

Por conta da queda de 87% da Sinic Holdings Group na Bolsa de Valores local, Yuanlin foi obrigado a parar suas operações, resultando em pânico por parte dos investidores. O magnata chegou a integrar a lista de bilionários da Forbes neste ano e conseguiu construir sua fortuna por meio da venda de apartamentos de alto nível.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos