Como são feitas as pesquisas de intenção de votos?

·4 min de leitura
Uma das formas que o eleitor pode encontrar de fazer sua opção de voto através das pesquisas
Uma das formas que o eleitor pode encontrar de fazer sua opção de voto através das pesquisas. (Foto: Getty Images)

É natural que em ano de eleição a população tente se preparar da melhor forma possível para o dia de ir às urnas. Uma das formas que o eleitor pode encontrar de fazer sua opção de voto é através das pesquisas, analisando quais são as probabilidades estatísticas da eleição.

Qual candidato tem mais chance de vencer? Qual candidato não está com nenhuma chance de seguir para o segundo turno? Para responder essas perguntas, são criadas as pesquisas de intenção de voto. Lembrando que, em 2022, serão eleitos presidente, governadores, senadores, deputados estaduais e deputados federais.

Como são feitas as pesquisas de intenção de votos?

As pesquisas de intenção de votos basicamente tentam “prever” o que vai acontecer no dia da eleição. Analisando o retrospecto dos institutos de pesquisa, podemos constatar que na maioria das vezes os levantamentos são bem-sucedidos nessa tarefa, principalmente quando as pesquisas são feitas cada vez mais próximas da data da votação. Mas como esse sistema funciona?

Antes de mais nada, os pesquisadores do instituto definem uma amostra representativa do grupo a ser pesquisado, utilizando dados públicos para chegar ao exemplar ideal. Normalmente, é escolhido um número limitado de pessoas, com características semelhantes ao grupo maior que se queria pesquisar. Ou seja, se a pesquisa for para intenção de voto para presidente da república, é importante que o instituto aborde pessoas de várias idades e classes sociais para chegar o mais próximo possível o universo total dos eleitores. Estas características dos pesquisados (escolaridade, gênero, idade, entre outros) são chamados de variáveis dentro do universo de pesquisa.

Depois de calculada a amostra, os institutos promovem pesquisas com as pessoas que encaixem nos critérios determinados. Por fim, as entrevistas e dados são reunidos e transformados em estatísticas pelos institutos.

Em caso de pesquisa de intenção de voto para a presidência da República, por exemplo, o universo da busca corresponde ao número de eleitores do Brasil: 146,4 milhões de pessoas, segundo o TSE. Representando esse grande número, as pesquisas eleitorais geralmente ouvem cerca de 2 mil pessoas que representam a soma total de eleitores.

Quais são os principais institutos de pesquisa do Brasil?

O Brasil conta com muitos institutos de pesquisa eleitoral espalhados ao redor do país. Vale lembrar também que cada instituto tem sua própria forma de fazer a pesquisa e escolher as variáveis de suas amostras. Dentre os mais conceituados, podemos destacar os três a seguir:

  • Ibope

  • Datafolha

  • IBGE

O que um candidato precisa para ganhar no primeiro turno?

Seja na disputa para governador ou presidente, o candidato que obtiver a maioria absoluta dos votos – equivalente a mais da metade, 50%, excluindo os votos brancos e os votos nulos – será automaticamente eleito ainda no primeiro turno. Caso essa marca não seja atingida, os dois candidatos mais votados se classificam para o segundo turno, onde a maioria mínima define o novo político eleito.

Como são contados os votos no Brasil?

Após o término do horário de votação, é possível que em algumas horas a população descubra quais foram os políticos eleitos. Isso se deve pela agilidade do processo das urnas eletrônicas, sistema adotado no país desde 1996.

O chamado sistema eletrônico de votação é composto por dois terminais: o primeiro onde se localiza o mesário, onde é realizada a identificação do eleitor, e o segundo é o terminal, onde ele registra seu voto. Mas como funciona esse sistema?

Os dados de cada urna eletrônica são codificados em mídias de memória. Após o término das eleições, essas mídias são transportadas para um centro de contagem eleitoral, são abertas e tem a sua autenticidade verificada. A partir desse momento, os dados das eleições passam a ser transmitidos para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que o retransmite ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Vale ressaltar que em nenhum momento do processo é utilizada a internet. Após a realização dessa etapa, o resultado da eleição se concretiza a partir da totalização de votos apurados em todas as mídias de memória. A totalização de votos é anunciada e divulgada pelo TSE.

O que acontece com os votos nulos?

A expressão voto nulo é usada para denominar o ato do eleitor que comparece ao local de votação, mas na hora de escolher seu candidato acaba optando por inserir um número que não corresponde a nenhuma das opções de voto.

A principal dúvida que pode aparecer é caso ocorra a hipótese de mais de 50% dos eleitores anularem os votos. Com isso, a eleição seria anulada? A resposta é não, já que todos os votos nulos são automaticamente descartados e servem apenas para fins estatísticos ao final das eleições.

O que acontece com os votos em branco?

O voto em branco ocorre quando o eleitor pressiona o botão “branco” presente na urna e depois confirma. Com isso, o eleitor opta que seu voto não beneficie nenhum candidato ou partido.

Assim como o voto nulo, os votos em branco não são considerados válidos e não podem anular uma eleição, mesmo que mais de 50% dos eleitores adotem a medida. Estes votos vão apenas constar como estatísticas após o término da apuração, mas não farão diferença no resultado final e não serão destinados ao candidato com mais votos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos