Evite assédios: saiba o que não deve ser feito no Carnaval

Alguns comportamentos não devem ser reproduzidos durante a festa. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Há alguns anos, mulheres unem forças para diminuir os casos de assédio que acontecem durante o Carnaval. Em 2017, nasceu o Coletivo Não é Não com o objetivo de conscientizar e dizer que não está “tudo liberado” durante a festa. Sendo assim, consentimento é a palavra de ordem todos os dias do ano, incluindo durante as festividades tradicionais do Brasil.

Porém, muitas pessoas continuam relatando casos de assédio durante os blocos e as festas de Carnaval. Sendo assim, a reportagem do Yahoo selecionou algumas das principais reclamações das mulheres em relação ao problema e fez um guia com o que não deve ser feito durante as festas.

Não é não

Como diz o próprio nome da campanha: não é não. Caso você se interesse por uma pessoa que está no bloco de Carnaval e, ao questionar se ela quer ficar com você, ela disser não, apenas respeite e vá embora. Não fique insistindo ou pressionando para que ela te dê um beijo. Se a resposta foi não, apenas se despeça e continue a sua festa.

Leia também:

Não puxe

Muitas mulheres relatam o incômodo que é ser puxada pelo braço, roupa ou até pelo cabelo durante as festas. Se você se interessou por uma moça que passou por você, vá até ela, se apresente e comece uma conversa. Assim, ela vai conhecer um pouco sobre você e não vai se assustar com o comportamento inoportuno.

Não beije à força 

Os beijos dados à força ou “de surpresa” são outros problemas que são relatados de forma recorrente por mulheres. Caso você se interesse pela mulher, converse com ela e peça um beijo. Se ela disser sim, você pode beijar. Agarrar a outra pessoa no meio da multidão e beijar sem ao menos ela saber que isso irá acontecer é considerado assédio. Imobilizar a mulher para que ela te dê um beijo também é crime.

Não fique bravo

Você pode fazer tudo certo e, ainda assim, a mulher não querer ficar com você. Se você se apresentou, conversou com a mulher e pediu um beijo e ela disse não, apenas se despeça e continue a sua festa. Certamente, você irá encontrar outra pessoa que queira te beijar. Xingamentos e palavras de baixo calão não vão fazer com que a mulher mude de ideia e queria ficar com você.

Roupa não é convite

As festas de Carnaval acontecem durante um dos meses mais quentes do ano: fevereiro. Por isso, muitas mulheres vão estar usando pouca roupa. No entanto, isso não é um convite. Seja pelo calor, para se sentir mais bonita ou para se sentir mais confortável, a mulher tem o direito de usar qualquer roupa e não ser incomodada por isso. Portanto, não apalpe, toque ou pegue no corpo de uma mulher só pelo fato de ela estar usando roupas curtas.

Mulher bêbada não “está pedindo”

Durante o Carnaval, muitas pessoas gostam de beber para aproveitar a festa. Algumas, no entanto, passam do ponto e acabam ficando bêbadas. Porém, isso não é um convite para que elas sejam abusadas. Se você encontrar uma mulher bêbada na festa, não a beije ou a toque. Ela não estará consciente o suficiente para poder consentir qualquer tipo de relação.

Não importune casais

O Carnaval é uma festa de todos e para todos. Portanto, é possível que você encontre um casal LGBT no bloco. Caso encontre um casal de mulheres se beijando, não fique encarando, não comente a relação delas e não peça para que elas se beijem para você ver. Elas não estão na festa para serem observadas e fetichizadas. Elas merecem se divertir como qualquer outra pessoa na festa. Não acabe com a diversão delas.