Polícia detém segunda pessoa vinculada com autor de sequestro na França

Paris, 24 mar (EFE).- Um amigo do terrorista que na sexta-feira assassinou quatro pessoas no sul da França e foi morto após fazer reféns em um supermercado da cidade de Trèbes, foi detido ontem à noite pelo seu suposto envolvimento no caso, afirmaram hoje as fontes judiciais.

Este segundo detido no círculo de Redouane Lakdim é um menor de idade, nascido em 2000, que está sendo investigado por pertencer a uma organização terrorista, segundo informações das fontes passadas para a Agência Efe.

Desde ontem, a namorada de Lakdim estava detida, como tinha informado o promotor encarregado da investigação, François Molins.

Este jihadista, de 25 anos e com dupla nacionalidade marroquina e francesa (foi naturalizado em 2015), tinha antecedentes por delitos comuns (inclusive tinha cumprido uma pena de prisão em 2016) e estava fichado por risco de radicalização.

De fato, como reconheceram ontem Molins e o ministro do Interior, Gérard Collomb, tinha sido alvo de acompanhamento pelos serviços secretos a partir de 2014 por relações com o movimento salafista.

Entre 2016 e 2017, os serviços secretos voltaram a vigiá-lo, mas não detectaram nenhum "sinal" que pudesse fazer suspeitar que iria cometer uma ação terrorista, segundo o promotor.

Na região em torno da cidade de Carcasona, onde vivia, tinha sido identificado em 2008 um grupo de radicais vinculados ao Tabligh, segundo um policial citado pelo "Libération". Por isso eram supervisionadas as viagens realizadas pelos seus membros a essa cidade.

No caso de Lakdim, o canal "BFMTV" indicou que sua entrada na França procedente da Espanha em 16 de janeiro tinha sido controlado pela polícia de fronteiras e nesta ocasião ele estava acompanhado de outro indivíduo. Então, ambos disseram aos agentes que voltavam de Girona.

Ontem de manhã, iniciou o périplo sangrento em Carcasona, onde disparou contra dois ocupantes de um carro para roubá-lo, matou um deles e deixou o segundo ferido em estado grave.

Pouco depois, junto a um quartel de polícia, atacou quatro agentes.

Depois se deslocou ao supermercado, onde matou a tiros um funcionário e um cliente, antes de sequestrar uma mulher.

Um agente se ofereceu em troca da refém. Depois de retê-lo durante três horas, enquanto no exterior havia um grande dispositivo policial, feriu o agente, que morreu hoje.

Isso desencadeou o ataque das forças da ordem, que o mataram. Além das quatro pessoas assassinadas por Lakdim, outras 15 ficaram feridas. EFE