Governo francês fecha mesquita por radicalização islamita

Paris, 6 abr (EFE).- O governo da França justificou nesta quinta-feira o fechamento de uma mesquita no sul de país por se tratar de um local que promovia "a discriminação, o ódio e a animosidade" entre as pessoas e um espaço de congregação de seguidores do islamismo radical.

A mesquita, situada em Sète, cidade de cerca de 40 mil habitantes próxima a Montpellier, foi fechada nesta quarta-feira por uma ordem governamental.

Em seu comunicado, o Ministério francês do Interior indicou que a mesquita atentava contra "os valores da República" francesa, porque tendia a "rejeitar a autoridade do Estado, o laicismo e a democracia".

Segundo o Executivo francês, alguns dos frequentadores da mesquita estavam vinculados com pessoas que advogavam pela jihad na França e pretendiam ir à zona de combate no Iraque e Síria, onde o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) ainda controla uma grande extensão de território.

O fechamento de mesquitas está dentro do estado de emergência decretado após os atentados de novembro de 2015 em Paris, que prevê o fechamento de lugares de culto que promovam o ódio, a violência e a comissão de atos terroristas.

Em fevereiro em Bouches-du-Rhône, no sudeste do país, outra mesquita foi fechada porque seu imã exercia um proselitismo "agressivo" e contava entre seus fiéis com adeptos ao islã radical. EFE

atc/ff