Exército quer notificar Roberto Jefferson sobre cancelamento de registro de 'colecionador' de armas

O Exército quer notificar o ex-presidente do PTB Roberto Jefferson sobre o cancelamento de seu certificado de CAC, sigla para "colecionador, atirador desportivo e caçador", que o permitia possuir armas. Com isso, ele não tem mais autorização legal para manter um arsenal em seu poder.

Na televisão: Ministra do TSE determina suspensão de propaganda de Lula que vincula Bolsonaro ao caso Roberto Jefferson

Ex-deputado Veja imagens de Roberto Jefferson ao dar entrada na prisão

A sua licença de CAC já estava suspensa e ele não poderia ter armas fora de Brasília, o que já indica uma irregularidade na manutenção de diversos armamentos em sua residência em Comendador Levy Gasparian (RJ). Agora, porém, o Exército informou a Secretaria Penitenciária do Rio de Janeiro (Seap) que deseja notificá-lo sobre o cancelamento do seu registro de CAC.

A notificação foi enviada pelo Comando da 1ª Região Militar à Seap e também encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Jefferson está preso desde o último domingo, após uma ordem do ministro Alexandre de Moraes. Inicialmente, ele disparou tiros de fuzil e granadas contra os quatro policiais federais que foram à sua residência executar a ordem de prisão. Por isso, também foi alvo de um auto de prisão em flagrante por quatro tentativas de homicídio.