Representantes da minoria sérvia se retiram do governo do Kosovo

Belgrado, 27 mar (EFE).- Os representantes da minoria sérvio-kosovar de Kosovo anunciaram nesta terça-feira que se retirarão do governo depois da detenção de um alto cargo da Sérvia pela polícia kosovar.

"A Lista Sérvia se retirará do governo e das instituições" kosovares, declarou em Belgrado Goran Rakic, presidente da citada "Lista", o partido da minoria sérvia no parlamento e no governo kosovar, em entrevista coletiva em Belgrado.

O chefe do escritório governamental da Sérvia para Kosovo, Marko Djuric, foi detido pela polícia kosovar na segunda-feira em Mitrovica, cidade do norte kosovar, o que elevou as tensões entre Pristina e Belgrado.

A Lista Sérvia tem quatro ministros no atual governo de Kosovo, formado em 2017, e dez deputados no parlamento kosovar, e o seu apoio foi decisivo para permitir a formação do Executivo.

Rakic também anunciou que no próximo mês os representantes sérvio-kosovares estabelecerão a comunidade de municípios de maioria sérvia em Kosovo, sem esperar o governo em Pristina, depois que não este ainda não deu os passos necessários, apesar do acordo feito em 2013 para tal.

O ministro de Retorno no governo kosovar, Dalibor Jevtic, outro membro da Lista Sérvia, declarou que a decisão de abandonar o Executivo foi "unânime", e que a detenção de Djuric de forma brutal foi "a gota d'água".

"Deve haver responsabilidade pelo uso excessivo da força e por tudo o que ocorreu ontem", assinalou Jevtic.

O político também acusou o governo kosovar de não estar disposto a entender os problemas da minoria sérvia.

"No parlamento kosovar já não apoiaremos as iniciativas do governo", declarou Jevtic.

Além disso, o político sérvio-kosovar garantiu que "o objetivo e o interesse da população sérvia é a paz".

"Queremos lutar de forma democrática pelo que nos pertence, e que é, antes de tudo, a liberdade", afirmou Jevtic.

Após ser detido em Mitrovica, onde se concentra a minoria sérvia de Kosovo, Djuric, que também é o principal negociador técnico da equipe sérvia no diálogo aberto entre Belgrado e Pristina sob a mediação da União Europeia, foi deportado horas depois para a Sérvia.

Kosovo, antiga província sérvia povoada por uma grande maioria de albaneses étnicos, proclamou em 2008 de forma unilateral sua independência da Sérvia, que não a reconhece. EFE