Pais jogam óleo fervendo na filha por rejeitar casamento arranjado

Austin (EUA), 26 mar (EFE).- Um casal de origem iraquiana jogou óleo fervendo e agrediu brutalmente sua filha mais nova por rejeitar um casamento arranjado com um homem 12 anos mais velho que ela em San Antonio, no Texas (EUA), informaram nesta segunda-feira as autoridades americanas.

Maarib Alhishmawi, de 16 anos, fugiu da casa da família no final de janeiro e foi achada no último dia 23 de março nas instalações de uma organização que ajuda mulheres maltratadas no condado de Bexar, onde se recuperava de várias lesões sofridas no próprio lar nos últimos seis meses.

O xerife do condado, Javier Salazar, explicou em entrevista coletiva que os pais da menor, Abdulah Fahmi al Hishmawi, de 34 anos, e Hamdiyah Sabah al Hishmawi, de 33, foram detidos e acusados de violência familiar, embora tenham sido libertados no domingo após pagar uma fiança de US$ 30.000.

Segundo a declaração oficial, o casal agrediu, asfixiou e jogou óleo de cozinha fervendo em sua filha quando ela se negou a se casar com Mohammad Ael Taie, de 28 anos, que iria pagar US$ 20.000 pelo casamento.

"Acredito que foi a suspeita, a mãe, que em certo momento lhe jogou óleo de cozinha quente porque se negava a participar deste casamento", revelou Salazar, que acrescentou que Ael Taie também será indiciado por participar de um casamento arranjado.

As autoridades disseram que esta família chegou aos Estados Unidos procedentes do Iraque há dois anos e residia no Texas com diferentes vistos, que não foram especificados durante a entrevista coletiva.

Maarib e seus cinco irmãos, com idades entre 5 e 15 anos, estão agora sob os cuidados do Departamento de Proteção da Infância do Texas (CPS, na sigla em inglês), à espera que um juiz emita uma sentença definitiva contra seus pais.

Salazar esclareceu que, por enquanto, se desconhece se os outros irmãos também sofreram abusos. EFE