Síria e facções islamitas fazem novo acordo para retirada de civis de Ghouta

Beirute, 23 mar (EFE).- O governo da Síria e facções islamitas que atuam em Ghouta Oriental, o principal reduto da oposição ao regime de Bashar al Assad nos arredores de Damasco, firmaram um novo acordo para retirar civis e combatentes da região.

A emissora oficial do governo divulgou informações sobre o pacto, citando a saída de 7 mil pessoas, entre elas milicianos da Legião da Misericórdia e da ex-filial da Al Qaeda na Síria, de quatro áreas em Ghouta Oriental para a cidade de Idlib, no norte do país.

Outro ponto do acordo é a libertação de sequestrados pelas facções islamitas. Além disso, eles terão que entregar ao governo da Síria mapas de tunéis escavados nas quatro áreas evacuadas.

O pacto ocorre depois de um acordo similar na cidade de Harasta, também em Ghouta Oriental, dominada pelo Movimento Islâmicos dos Livres de Sham. Milhares de civis e milicianos deixaram a região para ir em direção a Idlib. O processo segue em andamento.

Quase toda a província de Idlib é controlada pela Organização para a Libertação do Levante, uma aliança liderada pela antiga Frente al Nursa, ex-filial da Al Qaeda na Síria.

Os três redutos ainda dominados por facções de oposição em Ghouta Oriental são Harasta, Duma e a região que engloba Haza, Ain Yarma, Arbin e Zamalka. EFE