Procuradoria pedirá prisão de ex-presidente sul-coreana por corrupção

Seul, 27 mar (EFE).- O Ministério Público da Coreia do Sul anunciou nesta segunda-feira que solicitará a um tribunal a detenção da ex-presidente Park Geun-hye por acusações de corrupção relacionadas com o caso da "Rasputina", que já provocou sua destituição como chefe de Estado no início deste mês.

Os investigadores consideram que Park é suspeita de suborno, abuso de poder, coação e de revelar segredos de Estado a sua amiga Choi Soon-sil, conhecida como "Rasputina" por sua proximidade com a ex-presidente, segundo um comunicado da procuradoria divulgado por veículos de comunicação sul-coreanos.

"Seria injusto não pedir uma ordem (de detenção) levando em conta que sua cúmplice Choi Soon-sil, assim como os funcionários que seguiram suas ordens e aqueles que pagaram subornos, foram todos detidos", destaca o texto.

Após perder sua imunidade presidencial ao ser destituída no último dia 10 de março, a ex-presidente se submeteu na semana passada a um intenso interrogatório dos procuradores que durou mais de 21 horas e no qual Park, de 65 anos, insistiu em sua inocência.

Se o tribunal do distrito central de Seul emitir a ordem pedida pela procuradoria, Park se tornará o terceiro chefe de Estado sul-coreano a ser detido depois do general Chun Doo-hwan e de Roh Tae-woo. EFE