Ex-amante de Youssef que foi capa da Playboy é indiciada na Lava Jato

CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - Ex-amante do doleiro Alberto Youssef, Taiana de Souza Camargo foi indiciada nesta segunda (13) pela Polícia Federal, sob suspeita de lavagem e ocultação de bens do antigo namorado.

Taiana foi capa da Playboy após a deflagração da Operação Lava Jato.

Ela foi acusada de ocultar, em sua declaração de renda, a origem de um apartamento que recebeu como presente de Youssef -localizado no Morumbi e avaliado em R$ 871 mil, segundo a PF.

"Evidentemente, Taiana tinha conhecimento das atividades ilícitas de Alberto Youssef, ou ao menos era presumível que soubesse delas", disse o delegado Ivan Ziolkowski.

Segundo a PF, é "prova indiciária de má-fé o fato de Taiana ocultar a origem do patrimônio recebido".

De acordo com o relatório, o doleiro transferiu diversos bens para ela, a título de "presentes", e quitava despesas como o condomínio e a escola do filho da namorada, que também se tornou sócia de restaurantes.

Em 2011, ele comprou uma BMW para a amante, e, um ano depois, deu o apartamento no Morumbi. Nenhum deles foi declarado como doação de Youssef na prestação à Receita Federal.

O indiciamento é uma das primeiras etapas do processo criminal. O relatório, agora, será encaminhado ao Ministério Público Federal, que avalia se há provas suficientes para denunciar ou não a ex-amante.

A reportagem não conseguiu contato com a defesa de Taiana, que também não prestou depoimento à Polícia Federal, apesar de ter sido intimada por três vezes.