Ex-assessor de presidente peruano é preso após meses foragido

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Bruno Pacheco, ex-assessor sênior do presidente do Peru, Pedro Castillo, é fotografado ao lado de Castillo e sua esposa Lilia Paredes, no dia da posse de Castillo, em Lima
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

LIMA (Reuters) - Bruno Pacheco, ex-conselheiro sênior do presidente do Peru, Pedro Castillo, se entregou às autoridades após meses foragido por conta de uma investigação de corrupção, afirmou a procuradora-geral do país nesta terça-feira.

A prisão de Pacheco ocorre após a indicação de uma equipe de polícia especial encarregada de rastrear e capturar aliados de Castillo que estão sendo investigados criminalmente.

Dois dos aliados de Castillo continua foragidos, incluindo seu ex-ministro dos Transportes e seu sobrinho.

A procuradora-geral Patricia Benavides parabenizou a equipe quando anunciou a prisão de Pacheco, que estava foragido desde março. A Reuters não conseguiu contatar imediatamente o advogado de Pacheco.

Castillo, que é de esquerda, está no poder há menos de um ano e enfrenta no momento cinco investigações criminais diferentes, inclusive uma por suposta obstrução de Justiça.

Castillo enfrenta questionamentos de procuradores e rejeitou todas as alegações contra eles.

O presidente peruano publicou no Twitter na manhã desta terça-feira que a notícia sobre Pacheco era "satisfatória" e disse que ela desmente as acusações de que o Poder Executivo do país estaria protegendo indivíduos.

(Reportagem de Marco Aquino)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos