Ex-assessora de Marília Mendonça desabafa sobre morte da cantora: "Fui julgada"

Cantora Marília Mendonça morreu em queda de avião em 2021, aos 26 anos. (Foto: Divulgação/Robert Nelson)
Ex-assessora de Marília Mendonça desabafa sobre morte da cantora: "Fui julgada" (Foto: Divulgação/Robert Nelson)

Ex-assessora de Marília Mendonça, Silvia Colmenero usou as suas redes sociais para lembrar o dia da morte da cantora, há exatamente um ano, e lembrou a repercussão de um erro de comunicação cometido na data, quando anunciou que Marília havia sido resgatada com vida só para, minutos depois, anunciar a sua morte.

"Há exato um ano vivi os 40 minutos mais intensos da minha vida. Fui do alívio de ter recebido a notícia que estavam todos bem à mais profunda tristeza com o fato de não ter sobreviventes no acidente. Fui julgada por algumas pessoas, simplesmente por deduzirem que eu havia mentido. Para quem me conhece sabe bem: eu jamais faria isso!", começou a assessora em uma publicação no Instagram.

"Tive tanta raiva, aí, lembrei do FODA-SE, estas pessoas não fazem a menor diferença na minha vida. Essas pessoas não têm ideia da dor que sentíamos naquele momento, e que por muitas vezes ainda nos consome", continuou Silvia

Na publicação, ela mostrou a imagem de uma tatuagem feita em homenagem à cantora, ao produtor Henrique Ribeiro e ao tio de Marília, Abicieli Silveira Dias Filho, que atuava também como assessor pessoal da artista.

"Um ano, e ainda nos perguntamos se é verdade, e vem a dura realidade, mas tudo bem vamos seguindo contornando aqui e alí, 'cuidando' da memória destes três amigos queridos. 'Bora' absorver a lição de que o melhor da vida é viver! Sempre gratos pelas aventuras e descobertas incríveis que vivemos", concluiu a assessora.

Morte de Marília Mendonça

Marília Mendonça morreu no dia 5 de novembro de 2021, quando estava a caminho de Caratinga, onde faria um show. O avião bimotor de pequeno porte que transportava a cantora e mais quatro pessoas caiu em uma cachoeira.

Além da sertaneja, morreram no acidente o piloto, Geraldo Medeiros; o copiloto, Tarciso Viana; o produtor Henrique Ribeiro; e o tio da cantora, que trabalhava como seu assessor, Abicieli Silveira Dias Filho.

De acordo com a Polícia Civil, os laudos concluíram que a cantora Marília Mendonça morreu de politraumatismo contuso durante a queda do avião, que matou também outras quatro pessoas.

Os dados da necrópsia feita nos corpos foram juntadas à investigação que é conduzida pelo órgão para definir como o acidente aconteceu. Morte por politraumatismo acontece em casos em que há várias lesões em órgãos vitais, que significa que os passageiros morreram em consequência do choque do avião com o solo.

O corpo de Marília e do tio foram velados em Goiânia. O velório dos dois foi aberto ao público e cerca de 100 mil pessoas participaram da despedida da artista.