Ex-BBB Kerline critica rótulos: "Ser estereotipada como 'a loira' me incomodou muito"

Kerline Cardoso, a Ker, foi eliminada na primeira semana do "Big dos Big" (como ficou conhecido o "Big Brother Brasil 21"). Mas o meme "pobre da ker" não se aplica na personalidade da modelo e produtora de conteúdo de 29 anos. Ambiciosa no planejamento de sua carreira e de quem trabalha com ela (são mais de 10 pessoas), servir memes é, inclusive, uma das suas estratégias de negócios.

"Sempre fui criadora de conteúdo. Já que eu saí na primeira semana aproveitei o momento peguei minha equipe, montamos o roteiro, tudo pensado mesmo", conta a cearense em entrevista ao Yahoo! Entrevista desta semana, citando a fantasia da final do reality show inspirada no filme "As Branquelas", um dos seus principais memes. "Meu ciclo no 'Big' foi muito bem fechado, não posso simplesmente abandonar, eu tenho que ir me desvinculando aos poucos e começar a inserir outras coisas. Não posso simplesmente quebrar este cordão umbilical", completa.

Leia também

Está aí duas das principais características de Ker, planejadora e objetiva. Filha de um professor de escola pública de Fortaleza e de uma maquiadora, a modelo conta que ficou ofendida quando em apenas uma semana de 'Big Brother Brasil' foi reduzida apenas a uma mulher padrão, ou seja, aquela que é bem mais aceita socialmente por conta da cor do cabelo ou de perfil físico. E aqui, aliás, fica outra reflexão - mulheres são bonitas e inteligentes. A gente precisa parar de reduzir tudo que está ligado ao feminino como algo menor.

Ser estereotipada como 'a loira' me incomodou muito. Porque p*, tudo o que batalhei na vida

- Kerline sobre os rótulos que recebeu e recebe

"Passar em uma universidade pública porque meus pais não tinham grana. Moro no mesmo apartamento que nasci, no centro de Fortaleza. Me incomodou muito porque parece que as minhas batalhas não tiveram valor", diz ela, citando justamente o principal motivo de sua eliminação precoce, a discussão com o ator Lucas Penteado na primeira festa.

"Minha própria questão com o Lucas que deu uma entonação que talvez eu tava ali tendo um certo tipo de preconceito. Isso nunca nem passou na minha vida, porque a minha família é muito diversificada, tanto sexualmente quanto cor de pele, quanto textura de cabelo. Eu vim de uma família toda do Nordeste, do interior, isso já explica muita coisa. Minha mãe mudou de emprego já umas quatro vezes para sustentar dois filhos, foi mãe solo. Isso fala muita coisa sobre mim", desabafa ela, que entrou no programa com uma dívida de cerca de R$ 50 mil com o cunhado. Mas tudo pago já!

Sustentando a casa

O valor foi usado na sua agência de marketing digital. Com 1,5 milhão de seguidores nas redes sociais, Ker, além de investir em sua própria imagem como fonte de renda, também quer assessorar outros criadores de conteúdo. E o negócio começou a de fato tomar forma durante a pandemia da covid- 19, quando ela precisou assumir as contas de casa.

"Sou eu, minha mãe e meu padrasto. Veio a pandemia e meu padrasto ficou desempregado, minha mãe ficou sem cliente, quem é autônoma sabe muito bem do que eu tô falando.

Chegou um momento que minha mãe falou assim pra mim: 'Eu não sei mais como a gente vai fazer'. Foi o momento que eu falei: agora é comigo! Aí vem a Ker modelo, influenciadora, que era o que eu fazia antes. Ganhava dinheiro com isso sim e somente com isso. Criei alguns projetos e comecei a vender e literalmente sustentar a casa mesmo. Ou era eu, ou era eu", conta ela com orgulho de quem sempre almejou o que vem trilhado como meta de vida. "Antes de entrar na faculdade de design de moda, sempre soube que um dia eu ia estar fazendo isso, que ia gerar [oportunidades de emprego], como eu co-criei a minha entrada para o 'Big Brother'. Estou cocriando que isso é só o começo", avisa.

E justamente de olho nas mazelas do Brasil - falta de vacinas, mais de 440 mil mortes provocadas pelo coronavírus, uma economia desmantelada, descrédito na ciência e aglomerações desnecessárias, Ker, que já tinha comemorado o fato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ter a seguido no Twitter, é direta:

"Não gosto nem muito de me envolver em certos assuntos políticos, mas sim, se nós tivermos uma tentativa de reeleição do atual governo (Jair Messias Bolsonaro - sem partido), sou 13. Foi um dos governos que trouxe esperança, pelo menos pra minha família." Confira o papo completo no vídeo acima.