Ex-BBB que inventou o termo 'paredão' participa de atos golpistas em Brasília

Participante da primeira edição do "Big Brother Brasil", o artista plástico Adriano Castro — conhecido pelo apelido Didi Red Pill — participou dos atos golpistas realizados por radicais bolsonaristas, no último domingo (8), em Brasília. O ex-BBB registrou, por meio de um vídeo ao vivo no YouTube com mais de quatro horas de duração, o momento em que ele e outros vândalos invadem e depredam o Palácio do Planalto, o Congresso e o Supremo Tribunal Federal. A publicação foi apagada da plataforma nesta segunda-feira (9).

Luto: Roberto Dinamite era amante do samba e já foi até enredo de carnaval; veja fotos

Espiadinha: Quando começa o 'BBB 23' e quem são os participantes? Veja o que já se sabe sobre o reality show

Apoiador de Jair Bolsonaro (PL), o ex-BBB se define, nas redes sociais, como "patriota" e "exterminador de mortadelas". Ele publica, por meio de seu canal no YouTube, vídeos incentivando atos antidemocráticos contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que venceu a eleição presidencial em outubro de 2022. Baiano, o artista plástico esteve em acampamentos bolsonaristas em Salvador, onde ficou por mais de 20 dias nas ruas, após a eleição de Lula. "Mais um dia na batalha por um país livre e soberano", escreveu no Twitter durante o acampamento.

Quem é quem nos atos criminosos: Como os terroristas que invadiram Planalto, STF e Congresso serão identificados pela PF

"Estamos fazendo história na porta do Congresso Nacional. Hoje, completam 70 dias que a galera cansou de ficar na porta do quartel e veio aqui no Congresso Nacional... Estamos aqui ao vivo mostrando tudo para vocês, direto de Brasília, a invasão... Invasão, não. A ocupação do Congresso Nacional pelo povo", ele falou, num trecho da transmissão realizada ontem, ao mostrar a invasão do Congresso, no vídeo que posteriormente foi retirado do ar.

Ao Vivo: Acompanhe os desdobramentos do dia seguinte às invasões em Brasília

Adriano, de 54 anos, foi considerado o vilão da primeira temporada do "BBB", que foi ao ar na TV Globo em 2002. À época, ele inventou o termo "paredão", em referência ao local onde regimes ditatoriais mandavam fuzilar seus inimigos, para batizar as eliminações no programa.