Ex-BBB relata incômodo ao reviver drama com bulimia após 20 anos: "Doloroso"

Ex-BBB relata incômodo ao reviver drama com bulimia após 20 anos:
Ex-BBB relata incômodo ao reviver drama com bulimia após 20 anos: "Doloroso" (Foto: Reprodução/Globo)

Em 2022, o "Big Brother Brasil" completou 20 anos de estreia na Globo e, aos poucos, chega ao Globoplay, plataforma de streaming da emissora, e ao canal Viva, em reprises das edições anteriores. Porém, nem todos gostam de relembrar as emoções vividas na "casa mais vigiada do Brasil", especialmente quem esteve por lá.

Leka Begliomini, que participou da primeira edição e ficou conhecida por ter bulimia, revelou que reviver as memórias de algo tão doloroso não é fácil, mas é importante para ajudar não só a superar o próprio trauma como outras pessoas que passam pela mesma situação.

"Pedi muito a Deus que me ajudasse a encontrar esse caminho e o porquê de toda essa exposição que vivi no passado de algo tão doloroso para mim. O resultado foi um livro muito sincero feito com todo meu amor", revelou a ex-BBB em entrevista à Contigo, referindo-se ao livro "Loka, Eu?!?!", que deve lançar até o fim deste ano.

“Hoje tenho esse projeto como uma missão, talvez a maior da minha vida. Aquela que justifica toda essa sombra que tantas vezes me venceu. O 'Loka' é um livro cheio de histórias, de contos, de situações ilustrativas que uso para que se torne mais leve esse caminho de falar sobre um assunto espinhoso, delicado e ainda, por incrível que pareça, tão desconhecido das pessoas", acrescentou Leka.

Apesar da exposição provocada pelo reality show, ela diz sentir orgulho de sua participação no programa: "Fazer parte disso era algo tão inusitado quanto para o público. E, pessoalmente, foi um mega exercício de autoconhecimento que poucos têm a oportunidade de vivenciar", declarou. "Nada na época me pareceu tão simples quanto vejo hoje. O novo sempre nos tira da zona de conforto. E não havia nenhuma forma pra lidar com isso."

Sobre retornar ao programa, Leka afirmou que não está em seus planos, mas é uma porta que não fecha definitivamente: "“Não é algo que hoje eu esteja planejando, mas não sou do tipo de pessoa que fala: ‘Isso é algo que eu não faria nunca mais’, porque a vida é tão louca que, às vezes, as coisas que a gente fala que não vai fazer acabam nos encontrando e se tornando parte da nossa realidade”, justificou.