Ex-boxeador é acusado de traficar 22 toneladas de cocaína avaliadas em US$ 1 bilhão, nos EUA

O ex-boxeador Goran Gogic, de Montenegro, foi acusado por autoridades americanas de participar de um esquema que traficou 22 toneladas de cocaína, avaliadas em US$ 1 bilhão, de Columbia, na Carolina do Sul, para a Europa central. Ele foi preso na noite deste domingo.

Nascido em Pljevlja, em Montenegro, o ex-boxeador atuou como peso pesado de 2001 a 2012.

Gogic, de 43 anos, estava embarcando em um voo com destino a Zurique, na Suíça, do Aeroporto Internacional de Miami. As 22 toneladas de cocaína dizem respeito a três apreensões de carregamentos da droga em navios de carga ocorridas em 2019.

A maior delas foi a última, em 19 de junho. A cocaína estava no cargueiro MSC Gayane, que se preparava para atracar no porto da Filadélfia. Foi uma das maiores apreensões de cocaína da história dos EUA.

Segundo o Departamento de Justiça dos EUA, Gogic seria o responsável pela logística da operação e mantinha contato com a tripulação das embarcações, traficantes colombianos e trabalhadores portuários europeus.