Ex-braço direito de Trump é detido pela PF em Brasília, dois dias após ser recebido por Bolsonaro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Jason Miller se reuniu com Jair e Eduardo Bolsonaro dias antes de ser detido pela PF (Foto: Reprodução)
Jason Miller se reuniu com Jair e Eduardo Bolsonaro dias antes de ser detido pela PF (Foto: Reprodução)
  • Jason Miller, ex-assessor de Donald Trump, foi preso pela Polícia Federal em Brasília

  • Há dois dias, Miller se reuniu com Jair Bolsonaro e Eduardo Bolsonaro

  • Mandato de prisão teria sido expedido pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF

Ex-assessor do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Jason Miller foi detido pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira (7). Há dois dias, ele havia sido recebido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). 

Ele veio ao Brasil divulgar a Gettr, rede social crada por ele, e participar da Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), evento de direita organizado por Eduardo Bolsonaro, em Brasília. 

Leia também

Miller é empresário e fundador do Gettr, criado para a campanha do ex-presidente Donald Trump, que foi banido das redes sociais. A plataforma tem 2 milhões de seguidores, sendo 13,5% residem no Brasil.

Ele foi detido para prestar depoimento à PF sobre suposta participação de nos atos antidemocráticos no Brasil. Segundo a coluna de Igor Gadelha, do portal Metrópoles, a ordem partiu do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF)

Moraes, que teria expedido a ordem de prisão, se manifestou nas redes sociais para celebrar o 7 de setembro. O ministro é o principal alvo dos apoiadores de Jair Bolsonaro nos atos que aconteceu pelo país nesta terça-feira. 

Discurso de Bolsonaro contra o STF

Ao discursar na manhã desta terça-feira (7) em Brasília, Bolsonaro atacou diretamente a Corte e os ministros.

"Ou o chefe desse poder enquadra o seu ou esse poder pode sofrer aquilo que nós não queremos. Que nós valorizamos e reconhecemos e sabemos o valor de cada poder da República. Nós todos aqui na Praça dos Três Poderes juramos respeitar a nossa Constituição. Quem age fora dela se enquadra ou pede pra sair", afirmou o presidente em discurso inflamado.

Em seguida, os apoiadores do presidente iniciaram uma sequência de gritos "Fora STF!". O discurso de Bolsonaro teve como alvo Luiz Fux, presidente do Supremo, além dos ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso.

O presidente deve voltar a discursar por volta das 16h na Avenida Paulista, em São Paulo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos