Ex-chefe da Guarda Costeira sul-coreana absolvido no caso de naufrágio de balsa

·1 minuto de leitura
O casco da balsa "Sewol" é rebocado na Coreia do Sul em 2017

Um ex-chefe da Guarda Costeira sul-coreana foi absolvido nesta segunda-feira (15) da acusação de negligência durante a fracassada operação de resgate em um dos desastres marítimos mais mortíferos do país, no qual mais de 300 pessoas morreram, a maioria estudantes.

A balsa "Sewol" afundou na costa sul do país em abril de 2014, e muitos dos alunos a bordo obedeceram às ordens de permanecer em suas cabines enquanto o navio afundava lentamente.

O desastre provocou a ira da população sul-coreana quando surgiu a informação de que a então presidente, Park Geun-hye, não pôde ser contatada por várias horas enquanto o desastre ocorria.

O Tribunal Distrital Central de Seul considerou Kim Suk-kyoon, que então chefiava a Guarda Costeira, inocente nos fracassados esforços de resgate.

Também absolveu outros nove oficiais da Guarda Costeira, atualmente em serviço ou aposentados, acusados das mesmas acusações.

kjk-sh/slb/axn/age/mr