Ex-chefe das Farc retorna à cela após ser atendido em hospital

O ex-chefe das Farc Jesús Santrich na prisão colombiana 'La Picota', em Bogotá, em 17 de maio de 2019

Jesús Santrich, um líder da ex-guerrilha colombiana das Farc, que tem um pedido de extradição solicitado pelos Estados Unidos por conta de instigações sobre narcotráfico, retornou neste domingo à cela da sede da Promotoria após ser atendido em um centro médico.

Internado na unidade de tratamento intensivo do Hospital Universitario Mayor Méderi na madrugada de sábado por conta de "alteração do estado de consciência" e "ferimentos nos braços", o ex-combatente recebeu alta e retornou ao local de detenção onde é alvo de uma investigação por narcotráfico iniciada nos Estados Unidos.

De acordo com fontes oficiais, os ferimentos nos braços foram causados pelo próprio ex-guerrilheiro na sexta-feira.

Na sede da promotoria, Santrich, um dos responsáveis pela negociação do acordo de paz com o governo colombiano, vai aguardar pela audiência prevista para a segunda-feira na qual ouvirá as acusações de narcotráfico.

Aos 52 anos e com uma grave deficiência visual, o ex-guerrilheiro foi detido inicialmente em abril de 2018 para ser extraditado por suspeita de ter participado de tráfico de cocaína para os Estados Unidos numa data posterior ao acordo de paz firmado em novembro de 2016.

Santrich garante que as acusações fazem parte de um complô de Washington e a promotoria colombiana.