Ex-chefe do Exército será nomeado ministro das Relações Exteriores em Israel

O ex-chefe do exército de Israel e um dos líderes do partido "Azul e Branco, Gabi Ashkenazi, será nomeado ministro das Relações Exteriores

O ex-chefe do Exército israelense e um dos líderes do partido de centro "Azul-Branco", Gabi Ashkenazi, será nomeado ministro das Relações Exteriores de Israel no próximo governo de união, confirmou nesta quarta-feira (13) seu partido político.

O partido "Azul-Branco", liderado por outro ex-chefe do Exército, Benny Gantz, obteve a pasta das Relações Exteriores no governo de união, que deve prestar juramento na quinta-feira.

Ashkenazi não esperou para tomar posse do cargo e nesta mesma quarta-feira foi entrevistado junto a seu futuro colega americano, Mike Pompeo, que chegou a Jerusalém em uma visita oficial, a primeira do chefe da diplomacia americana desde o início da crise de COVID-19.

Ambos falaram da ameaça iraniana e também mencionaram o plano de paz do presidente Donald Trump para o Oriente Médio que inclui, entre outros, a anexação de partes da Cisjordânia por Israel.

"Ambos discutiram sobre diferentes desafios geoestratégicos, incluindo os últimos acontecimentos regionais antes da nomeação na quinta-feira de Ashkenazi como ministro das Relações Exteriores", afirmou uma porta-voz do partido "Azul-Branco", especificando que ambos os responsáveis concordaram em retomar seu diálogo "em breve".

Após 17 meses de crise política e três eleições, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e seu ex-rival político Benny Gantz acordaram finalmente a criação de um governo de união de três anos e a distribuição igualitária das cadeiras ministeriais.