Ex-conselheiro de Trump para segurança Flynn busca imunidade para testemunhar sobre caso da Rússia

WASHINGTON (Reuters) - O ex-conselheiro de segurança nacional do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Michael Flynn disse ao FBI e a autoridades do Congresso que investigam potenciais laços entre a campanha de Trump e a Rússia que está disposto a ser questionado em troca de imunidade, reportou o Wall Street Journal nesta quinta-feira.

A reportagem citou autoridades com conhecimento do assunto. O advogado de Flynn, Robert Kelner, recusou-se a comentar, disse o jornal. A Reuters não conseguiu confirmar de forma independente a reportagem.

Flynn, que foi demitido em fevereiro por não ter revelado conversas com o embaixador da Rússia sobre as sanções dos EUA contra Moscou antes de Trump assumir a Casa Branca, fez a oferta ao Federal Bureau of Investigation e às comissões de inteligência da Câmara e do Senado por meio de seu advogado.