Ex-coronel sírio é condenado na Alemanha à prisão perpétua por crimes contra a humanidade

·1 min de leitura

A ONG Human Rights Watch saudou um veredito histórico. Na Alemanha, um ex-coronel sírio do regime de Bashar al-Assad foi condenado à prisão perpétua por crimes contra a humanidade. A sentença foi anunciada nesta quinta-feira (13), pelo Supremo Tribunal Regional de Koblenz. Este é o primeiro julgamento no mundo ligado às atrocidades do regime sírio.

Com informações de Pascal Thibaut, correspondente da RFI em Berlim, e da AFP

O acusado - um ex-coronel da Inteligência síria - ouviu o veredito sem reação aparente. O tribunal de Koblenz, conforme solicitado pela promotoria, condenou Anwar Raslan à prisão perpétua por crimes contra a humanidade: ele é acusado da morte de 27 pessoas e tortura contra 4.000 detidos em uma prisão em Damasco.

O acusado era responsável no regime sírio pela segurança da capital. Anwar Raslan se declarou inocente, descartou as acusações de tortura e negou ter ordenado torturas ou mortes. Ele até alegou ter libertado detidos.

Mas o julgamento, com cem dias de audiência e cerca de oitenta testemunhas, desmantelou as engrenagens do sistema repressivo sírio.

Rouam Avache, que sobreviveu aos espancamentos nessa prisão de Damasco e era parte civil no julgamento, declarou no anúncio do veredito: “A justiça não pode e não deve permanecer um sonho para nós. Este julgamento é apenas o começo e ainda temos um longo caminho a percorrer. Mas este dia é para nós, as vítimas, um primeiro passo em favor da liberdade, da dignidade e da justiça. "

Jurisdição universal


Leia mais

Leia também:
Sírios são vítimas de estupros e torturas na volta ao país, aponta relatório da Anistia Internacional
Dez anos de guerra e quase 400 mil mortos: por que Bashar al-Assad segue inabalável na Síria?
Bashar al-Assad é reeleito presidente da Síria

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos