Ex-deputado que socou porteiro assume mandato na Câmara como suplente de Flávia Arruda

Ana Paula Ramos
·2 minuto de leitura
Deputado Laerte Bessa durante reunião do Conselho de Ética da Câmara (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Deputado Laerte Bessa durante reunião do Conselho de Ética da Câmara (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
  • Ex-deputado Laerte Bessa assume mandato na Câmara como suplente de Flávia Arruda

  • Ela será ministra da Secretaria de Governo de Jair Bolsonaro

  • Em 2019, delegado aposentado agrediu porteiro do prédio ontem

Primeiro suplente da coligação que elegeu a deputada federal Flávia Arruda (PL-DF), o ex-diretor-geral da Polícia Civil e ex-deputado Laerte Bessa (PL-DF) vai assumir o mandato na Câmara dos Deputados.

Flávia Arruda será ministra da Secretaria de Governo da Presidência da República, após a reforma ministerial realizada pelo presidente Jair Bolsonaro na segunda-feira (29).

Leia também:

Em 2019, o delegado aposentado agrediu o porteiro do prédio onde morava, em Águas Claras, no Distrito Federal. Bessa deu soco, chute e ainda xingou o funcionário porque ele não deixou um motoboy subir com uma entrega. “Seu bosta (…) Você quer morrer? Eu te mato aqui agora, seu filho da p*”. Te dou um tiro na cara!”

No vídeo capturado pelas câmeras de segurança, é possível ver o porteiro e o entregador conversando quando Bessa chega chutando a cadeira do funcionário do condomínio.

Na época, Laerte disse que se arrependeu, mas ironizou a situação: “Você viu a lição que eu dei nele?”

Em entrevista a um jornal da capital federal, o político afirmou na segunda-feira (29) que se “identifica” com o presidente Jair Bolsonaro e que pretende integrar a bancada da Câmara de apoio ao Planalto.

Deputado Laerte Bessa, deputado Eduardo Bolsonaro e o então deputado Jair Bolsonaro em reunião do Conselho de Ética da Câmara em 2018 (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Deputado Laerte Bessa, deputado Eduardo Bolsonaro e o então deputado Jair Bolsonaro em reunião do Conselho de Ética da Câmara em 2018 (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Ele já exerceu um mandato como deputado federal e foi membro da chamada bancada da bala.

Na ocasião, o PSB entrou com um pedido de cassação do mandato do então deputado no Conselho de Ética. Após o governador do Distrito Federal, na época, Rodrigo Rollemberg (PSB), ter se recusado a atender Laerte Bessa, ele foi à tribuna da Câmara e chamou o governador de “maconheiro”, “bandido”, “vagabundo”, cagão”, “safado” e “frouxo”. O Conselho de Ética arquivou o processo.

Veja lista das pastas que terão novo ministro:

  • Casa Civil: sai Walter Braga Neto, entra Luiz Eduardo Ramos

  • Secretaria de Governo: sai Luiz Eduardo Ramos, entra deputada Flávia Arruda (PL-DF)

  • Advocacia-Geral da União (AGU): sai José Levi, entra André Mendonça

  • Ministério da Defesa: sai Fernando Azevedo, entra Walter Braga Neto

  • Ministério da Justiça e Segurança Pública: sai André Mendonça, entra Anderson Torres, ex-secretário de Segurança Pública do DF

  • Ministério das Relações Exteriores: sai Ernesto Araújo, entra o embaixador Carlos Alberto Franco França.