Ex-dirigentes da Conmebol desviaram quase US$ 130 milhões, segundo auditoria

Santiago (Chile), 26 abr (EFE).- Quase US$ 130 milhões foram desviados ou transferidos em operações suspeitas a partir de contas bancárias da Conmebol entre 2000 e 2015, quando a entidade foi presidida pelo paraguaio Nicolás Leoz e o uruguaio Eugenio Figueredo, segundo os resultados de uma auditoria divulgados nesta quarta-feira em Santiago.

A investigação, realizada por uma consultora e um escritório de advocacia, revelou a existência de transferências bancárias diretas no valor de US$ 26,9 milhões da Conmebol a contas de Leoz, que comandou a entidade entre 1986 e 2013.

Também foram identificados pagamentos a contas não identificadas no valor total de US$ 33,3 milhões e US$ 58 milhões em transferências a terceiros sem apoio documental.

Leoz e Figueredo - que dirigiu a Conmebol entre 2013 e 2014 - são acusados de participação em casos de corrupção na Fifa e estão à espera de serem julgados nos Estados Unidos.

Os resultados da auditoria foram divulgados dentro de uma reunião extraordinária realizada durante o 67º Congresso ordinário da Conmebol, em Santiago, e que contou com a presença do presidente da Fifa, Gianni Infantino. EFE