Ex de Dr. Jairinho diz que foi agredida a caminho da lua de mel

·2 minuto de leitura
Dr. Jairinho, vereador pelo Rio de Janeiro, foi preso na manhã desta quinta-feira (Foto: Reprodução/TV Globo)
Dr. Jairinho, vereador pelo Rio de Janeiro, foi preso na manhã desta quinta-feira (Foto: Reprodução/TV Globo)

Ex-mulher do vereador Dr. Jairinho (sem partido), preso na última quinta-feira (8) sob a suspeita de homicídio duplamente qualificado e tortura do menino Henry Borel, de 4 anos, a dentista Ana Carolina Netto afirmou, em depoimento à Polícia Civil, ter sido agredida dias após o casamento, em dezembro de 2013, enquanto arrumava as malas para a lua de mel.

De acordo com o depoimento, prestado na última sexta e obtido pela TV Globo, a dentista contou aos policiais que flagrou o vereador conversando com outra mulher pelo telefone e disse que não queria mais viajar. Os dois discutiram, e ele a agrediu com chutes na canela. Na época, a dentista procurou a polícia e registrou um boletim de ocorrência. Um exame de corpo de delito atestou as lesões.

Leia também

A ex-mulher de Jairinho afirmou à polícia que decidiu retirar a queixa quando os dois retomaram a o relacionamento, seis meses depois.

Ana Carolina revelou ter se surpreendido esta semana, em uma rede social, com uma foto de um dos filhos dela com Jairinho abraçado com Henry. A legenda falava de uma viagem juntos, e que ali começou uma amizade entre as crianças. A dentista reagiu perplexa, indignada e revoltada com o uso da imagem sem autorização (e com um texto mentiroso, segundo ela). Aquela foi a única vez em que o filho e o enteado do vereador se viram.

Aos policiais, a dentista contou ter procurado a família do vereador e pediu que a foto fosse excluída. A postagem desapareceu horas depois. Ana Carolina teve dois filhos com Jairinho.

Segundo a TV Globo, na última sexta, Jairinho estava circulando normalmente entre outros presos na hora do almoço. A informação foi negada pela Secretaria de Administração Penitenciária. Inicialmente, ele deveria ficar isolado por 14 dias, por causa do protocolo de segurança da Covid. O vereador passou mal e foi atendido numa UPA que fica dentro do complexo de Bangu.

Dr. Jairinho e Monique Medeiros, mãe de Henry, estavam em uma casa em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro, quando foram conduzidos até a delegacia da Barra. Em seguida, foram levados para penitenciárias diferentes.