Ex-empresário, Lúcia Veríssimo e fãs de Gal Costa criticam viúva por conta de enterro

Gal Costa e fãs homenageando a cantora. Foto: Mauricio Santana/Getty Images/Ethieny Karen/Yahoo Brasil
Gal Costa e fãs homenageando a cantora. Foto: Mauricio Santana/Getty Images/Ethieny Karen/Yahoo Brasil

Quase 15 dias após a morte de Gal Costa, amigos e fãs da cantora ainda têm muitas perguntas sem respostas. Além da causa do óbito, que não foi divulgada, uma das principais dúvidas de quem conviveu ou acompanhava a baiana, mesmo que à distância, é o motivo de ela ter sido enterrada em São Paulo e não no Rio, junto à mãe.

Black Friday 2022: As melhores ofertas escolhidas especialmente para você

O assunto foi parar nas redes sociais e resultou num bate-boca entre a viúva Wilma Petrillo e Paulo Lima, ex-empresário e amigo de Gal.

Em seu perfil no Instagram, o cantor, produtor e compositor postou uma foto da sepultura em que ela foi enterrada e fez um desabafo seguido de questionamentos.

"Gal Costa comprou um Jazigo Perpétuo no cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro, quando faleceu sua mãe. Neste cemitério estão sepultados, Carmem Miranda, Ary Barroso, Dorival Caymmi, Vinicius de Moraes, Cazuza, Glauber e Anecy Rocha, os membros da Academia Brasileira e a maioria dos grandes artistas e personalidades do nosso país. Gal, intuitiva como era, até isso deve ter previsto", iniciou ele: "Não é justo que seja sepultada num jazigo que não é seu e que seja dificultada a chegada de seus fãs e amigos para homenagens e despedidas finais. Por que isso tudo está acontecendo? Quem deseja apagar e esconder essa pessoa amada por tantos? O que há por trás de tudo isso?".

Muitos fãs e amigos da cantora também indagaram o mesmo. Até que Wilma apareceu para rebater. “Paulo, você não sabe de nada”, escreveu ela na publicação do produtor. Ao ser pressionada, Wilma voltou a dizer: “Esse tal Paulo não convivia com Gal há mais de 40 anos”.

Wilma nada mais respondeu sobre as questões expostas pelos fãs e amigos, que saíram em defesa de Paulinho.

"Sim, é fato, mas ele fez/faz parte da história da Gal e por não saber de nada, ele queira respostas, assim como muito dos fãs da Gal", "Ora ora ora, Wilma. Não conviver com a Gal era a coisa mais comum há pelo menos 28 anos, quando alguém a afastou de boa parte de seus amigos".

" Aliás, você não muda nada, né? Sempre escrevendo em caixa alta (gritando) desde os tempos do Fórum do Site Oficial", "Nem ele, nem nós. A despedida da Gal foi MUITO aquém da grandeza do ícone que ela é, imperdoável!", "Isso é tudo o que a senhora tem a nos dizer? Nunca vou esquecer minha única ida ao camarim. Você em pé, vigiando, sisuda. Sua postura controladora. Um amor de vida inteira. Sim, Gal foi e é pra mim. Vê-la encolhida, com medo, esperando sua autorização para cada palavra, cada gesto, me entristeceu profundamente. Nunca mais eu quis voltar. Triste fim".