Ex-funcionários da prefeitura de Belford Roxo relatam 'jornada dupla' para campanha de Daniela Carneiro

Ex-ocupantes de cargos comissionados da prefeitura de Belfort Roxo, na Baixada Fluminense, revelaram ao RJ TV, da TV Globo, que atuaram em "dupla jornada" durante as eleições de outubro do ano passado em prol da candidatura à reeleição da ministra do Turismo do governo Lula, Daniela Carneiro (União Brasil -RJ), — casada com o atual prefeito da cidade, Waguinho — e do deputado estadual Márcio Canella (União Brasil -RJ), aliado do grupo político.

No último dia de 2022, Waguinho rescindiu todo os contratos de trabalho de funcionários comissionados, temporários ou com função gratificado. A demissão em massa é investigada pelo Ministério Público. Ao RJ TV, um desses funcionários contou que era preciso acompanhar todas as agendas de campanha dos dois políticos aliados de Waguinho:

— Eles pediam para a gente votar e acompanhar os comícios, carreatas e todas as reuniões, entende? Mesmo saindo do trabalho, que o plantão é de 24 horas. A gente saía do trabalho de manhã e tinha que ir logo para as reuniões de prestação de contas e tudo mais. E tinha que votar, na época, na Daniela e no Canella.

Daniela Carneiro tornou-se nos últimos dias protagonista de uma crise que preocupa o entorno do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), após revelações de que a deputada federal reeleita contou com o apoio declarado de personagens condenados ou acusados de envolvimento com a milícia. A atual ministra do Turismo foi a candidata ao cargo de deputado federal mais votada do estado do Rio, com mais de 213 mil votos.

Ainda de acordo com os relatos, os funcionários da prefeitura de Belfort Roxo também eram obrigados a fazer fotos dos eventos e postar em redes sociais. Um dos ex-ocupantes de cargos comissionados contou que só era possível assinar o ponto de saída após as reuniões e atos de campanha. Ainda segundo a reportagem, o único documento que parte dos ex-contratados tinham com registro de vínculo com a prefeitura era um memorando de apresentação.

— A pessoa recebe e não sai nem publicação, que é a nomeação escondida. Tem gente recebendo que é nomeado, mas a nomeação nem aparece. Ninguém nunca viu — narrou um servidor administrativo.

Parte deles, por outro lado, ficou sem receber salário até hoje, mesmo após a atuação na campanha.

— Eu tô há três meses sem receber e agora caiu a exoneração agora e, com certeza, não vai cair mais nada, entendeu? — contou outro ex-funcionário à TV Globo.

A prefeitura de Belford Roxo disse em nota ao RJ TV que nenhum servidor era coagido a participar de comícios e reuniões de campanha e que eles iam por livre e espontânea vontade, porque confiam no trabalho de Daniela Carneiro.